Inventário de Calliphoridae (Diptera) em manguezal e fragmento de Mata Atlântica na região de Barra de Guaratiba, Rio de Janeiro, Brasil

Lenicio Gonçalves, Álvaro Dias, Cleber Barreto Espindola, Fábio Souto Almeida

Resumo


Este trabalho objetivou estudar a comunidade de Calliphoridae (Diptera) em dois ecossistemas (manguezal e fragmento de Mata Atlântica) no Rio de Janeiro. Em cada ecossistema, foram instaladas três armadilhas, que foram mensalmente amostradas em ambientes com diferentes níveis de impacto humano (preservado, intermediário e antropizado), entre os meses maio de 2007 a abril de 2008. Foram coletados no total 1017 indivíduos no mangue e 285 indivíduos no fragmento de Mata Atlântica. A espécie mais abundante e frequente, em ambos os ecossistemas, foi Chrysomya megacephala (Fabricius, 1794). O fragmento de Mata Atlântica apresentou maior riqueza de espécies (9 espécies) que o mangue (7 espécies). No manguezal, as espécies Chrysomya albiceps (Wiedemann, 1819) e C. megacephala apresentaram elevado índice de sinantropia. Já no fragmento de Mata Atlântica o índice de sinantropia de C. albiceps teve valor negativo, enquanto que para C. megacephala e Hemilucilia semidiaphana (Rondani, 1850) o valor foi positivo. A abundância de C. megacephala correlacionou-se significativamente com a precipitação (rs = 0,73, p = 0,01) e com a temperatura (rs = 0,66, p = 0,02), no manguezal. Os resultados revelam que espécies de califorídeos podem apresentar variações no comportamento sinantrópico em função dos ecossistemas que habitam.

Palavras-chave


análise faunística; mosca-varejeira; sinantropia

Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Licença Creative Commons
A Revista Brasileira de Biociências é publicada sob uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Unported.

eISSN 1980-4849 / pISSN 1679-2343