DE SEM-TERRA A SEM-TERRA: MEMÓRIAS E IDENTIDADES

Natália Kerche Alvaides, Rosemeire Aparecida Scopinho

Resumo


O artigo analisa a contribuição da memória no processo de enraizamento e de reconstrução da identidade social de trabalhadores em assentamentos de reforma agrária. Estudamos as lembranças da trajetória de vida de um trabalhador rural assentado vinculado ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) escolhido, intencionalmente, em razão da faixa etária, da experiência com o trabalho rural e da participação em movimentos sociais de luta pela terra. As informações foram obtidas por meio de entrevistas, que combinaram relatos orais de histórias de vida com perguntas exploratórias, além de análise documental. As categorias família, trabalho e participação política permitiram compreender a relação entre os quadros de memória, o processo de construção das diferentes personagens componentes da identidade, assim como o diálogo estabelecido entre elas e os princípios organizativos do MST. A identidade Sem-Terra tanto é produto dessas relações quanto é por elas ressignificada no processo de lembrar. Palavras-chave: memória; identidade social; enraizamento; movimentos sociais; reforma agrária.


Texto completo: PDF