GNU Blog Software Livre na EducaçãoMicro Livre

18/09/2012

Inscreva-se no RSS

An√ļncios publicit√°rios nas redes sociais

Filed under: EAD,Educa√ß√£o,Internet — admin @ 5:03 pm

An√ļncios publicit√°rios nas redes sociais eletr√īnicas

Na utiliza√ß√£o educacional ou escolar das redes sociais eletr√īnicas, em geral n√£o √© abordada uma quest√£o: os an√ļncios publicit√°rios exibidos.

No Facebook, a coluna da direita exibe publicidade rotativa personalizada.

A prop√≥sito, foram publicados livros did√°ticos em 2011 no Chile com an√ļncios publicit√°rios.

Chile p√Ķe publicidade em livro did√°tico http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,chile-poe-publicidade-em-livro-didatico,704193,0.htm.

Governo chileno aprova an√ļncios publicit√°rios em livros did√°ticos http://operamundi.uol.com.br/conteudo/reportagens/11093/governo+chileno+aprova+anuncios+publicitarios+em+livros+didaticos.shtml.

Polêmica nos livros didáticos http://www.todospelaeducacao.org.br/comunicacao-e-midia/educacao-na-midia/14884/polemica-nos-livros-didaticos.

Textos escolares aprobados por el Mineduc incluyen publicidad http://www.elmostrador.cl/noticias/pais/2011/04/05/textos-escolares-aprobados-por-el-mineduc-incluyen-publicidad.
.
.

24/01/2012

Inscreva-se no RSS

Instale em um pen drive as atividades do Sugar/OLPC

Filed under: Educa√ß√£o,Inform√°tica,Internet,Software Livre — admin @ 7:29 pm

O sistema operacional de software livre Sugar www.sugarlabs.org, criado para o projeto OLPC www.laptop.org, pode ser instalado em um pen drive. Claro, você também pode instalar em um computador de mesa ou portátil.

A base do sistema √© uma das vers√Ķes da distribui√ß√£o de software livre Fedora: http://spins.fedoraproject.org/soas.

O Sugar tem centenas de atividades desenvolvidas para crianças, nas áreas de Matemática, Física, Leitura e Redação, Geografia, Mídias, etc.

Veja em: http://activities.sugarlabs.org.

Um dos destaques, o software musical TAM TAM, para crian√ßas e adolescentes, tem 4 vers√Ķes: Edit, Jam, Mini e Sintetizador http://wiki.laptop.org/go/TamTam. V√≠deos: http://www.youtube.com/watch?v=31L9qaxOrp0 e http://www.youtube.com/watch?v=Nwqt8NMT-zI

Outro destaque, entre tantos, s√£o as 107 atividades do software Gcompris http://activities.sugarlabs.org/collection/gcompris.

Boa divers√£o!

19/10/2011

Inscreva-se no RSS

Perfil falso nas redes sociais

Filed under: Educa√ß√£o,Internet — admin @ 6:17 pm

Perfil falso nas redes sociais

STJ rejeita indenização contra Google

15/09/2011 – 08h40
Fonte: jornal Folha de São Paulo  http://www1.folha.uol.com.br/mercado/975459-stj-rejeita-indenizacao-contra-google.shtml

LARISSA GUIMARÃES
DE BRAS√ćLIA

O STJ (Superior Tribunal de Justi√ßa) decidiu que os provedores n√£o s√£o obrigados a ter fiscaliza√ß√£o pr√©via de conte√ļdos na internet.

No entanto, a 3¬™ Turma do tribunal entendeu que os provedores devem tirar o material do ar imediatamente caso sejam informados sobre textos ou imagens com conte√ļdo il√≠cito.

A decisão envolveu um usuário do Orkut e o Google, empresa que criou e mantém o popular site de relacionamento.

O caso come√ßou em 2007, quando um usu√°rio da cidade de Pirapora (MG) alegou que havia sido ofendido –um desconhecido criou um perfil falso dele no Orkut.

O internauta pediu uma indeniza√ß√£o de R$ 8.300 por danos morais e chegou a vencer na 1¬™ e na 2¬™ inst√Ęncias, mas o Google recorreu. O STJ negou o pedido de indeniza√ß√£o contra a empresa.

Na decisão, a relatora do caso, ministra Nancy Andrighi, considerou o fato de que a empresa retirou do ar o material ofensivo ao usuário após ser comunicada.

“Ao oferecer um servi√ßo por meio do qual se possibilita que os usu√°rios externem livremente sua opini√£o, deve o provedor de conte√ļdo ter o cuidado de propiciar meios para que se possa identificar cada um desses usu√°rios, coibindo o anonimato e atribuindo a cada manifesta√ß√£o uma autoria certa e determinada”, afirmou, na decis√£o.

L√ćCITO OU IL√ćCITO

Para o diretor de rela√ß√Ķes governamentais do Google, Marcel Leonardi, quem oferece uma plataforma n√£o √© respons√°vel pelo conte√ļdo divulgado pelos usu√°rios.

“Com exce√ß√£o dos casos √≥bvios (como pornografia infantil), quem vai definir se algo √© l√≠cito ou il√≠cito √© o Judici√°rio, e n√£o o provedor”, acrescentou.

O presidente da Abranet (Associa√ß√£o Brasileira de Internet), Eduardo Neger, tamb√©m defende que o provedor n√£o pode fazer uma avalia√ß√£o pr√©via. “N√£o √© poss√≠vel fazer ju√≠zo de valor.”

O advogado do usu√°rio de Pirapora (MG) afirmou que ele n√£o deve recorrer da decis√£o do STJ.

===============

STJ: Google n√£o pode ser responsabilizado por material publicado no Orkut

Fonte: Superior Tribunal de Justiça http://www.stj.jus.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=398&tmp.texto=100532

20/01/2011 – 08h07

DECISÃO

A Google Brasil Internet Ltda. n√£o pode ser responsabilizada por material publicado em site de relacionamento mantido pela empresa. Essa foi a decis√£o dos ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justi√ßa (STJ) ao indeferir pedido de indeniza√ß√£o por danos morais a mulher que, em primeira inst√Ęncia, obteve antecipa√ß√£o de tutela, posteriormente confirmada, para determinar a exclus√£o de todo o material ofensivo que relacionava o nome da autora.

O Tribunal de Justi√ßa de S√£o Paulo (TJSP) isentou o Google do pagamento de indeniza√ß√£o por danos morais por entender que a fiscaliza√ß√£o pretendida pela autora, na pr√°tica, implica exame de todo o material que transita pelo site, tarefa que n√£o pode ser exigida de um provedor de servi√ßo de hospedagem, j√° que a verifica√ß√£o do conte√ļdo das veicula√ß√Ķes implicaria restri√ß√£o da livre manifesta√ß√£o do pensamento.

Contra essa decis√£o do tribunal paulista foi interposto recurso especial ao STJ sob a alega√ß√£o de que ‚Äúo site em quest√£o configura uma presta√ß√£o de servi√ßos colocada √† disposi√ß√£o dos usu√°rios da rede‚ÄĚ e, por isso, existe responsabilidade objetiva. No recurso, afirma-se ainda que o compromisso assumido de exigir que os usu√°rios se identifiquem n√£o foi honrado, o que gera a falha no servi√ßo. Por fim, alega-se neglig√™ncia na presta√ß√£o do servi√ßo.

Para a relatora, ministra Nancy Andrighi, apesar de gratuito, o Orkut exige que o usu√°rio realize um cadastro e concorde com as condi√ß√Ķes de presta√ß√£o do servi√ßo, gerando um banco de dados com infinitas aplica√ß√Ķes comerciais e, por isso, √© ineg√°vel a rela√ß√£o de consumo nos servi√ßos de internet.

A ministra entende tamb√©m que a responsabilidade do Google deve ficar restrita √† natureza da atividade por ele desenvolvida naquele site: disponibilizar na rede as informa√ß√Ķes encaminhadas por seus usu√°rios e assim garantir o sigilo, a seguran√ßa e a inviolabilidade dos dados cadastrais de seus usu√°rios, bem como o funcionamento e a manuten√ß√£o das p√°ginas na internet que contenham as contas individuais e as comunidades desses usu√°rios.

Em rela√ß√£o √† fiscaliza√ß√£o do conte√ļdo, a relatora considera que n√£o se trata de uma atividade intr√≠nseca ao servi√ßo prestado, de modo que n√£o se pode considerar defeituoso o site que n√£o examina e filtra o material nele inserido. A verifica√ß√£o antecipada, pelo provedor, do conte√ļdo de todas as informa√ß√Ķes inseridas na web eliminaria um dos maiores atrativos da internet, que √© a transmiss√£o de dados em tempo real.

Em contraponto, a ministra Nancy Andrighi, afirma que, mesmo que fosse poss√≠vel vigiar a conduta dos usu√°rios sem descaracterizar o servi√ßo prestado pelo provedor, haveria de se considerar outro problema: os crit√©rios que autorizariam o veto ou o descarte de determinada informa√ß√£o. Seria imposs√≠vel delimitar par√Ęmetros de que pudessem se valer os provedores para definir se uma mensagem ou imagem √© potencialmente ofensiva. ‚ÄúEntretanto, tamb√©m n√£o √© razo√°vel deixar a sociedade desamparada frente √† pr√°tica, cada vez mais corriqueira, de se utilizar comunidades virtuais como artif√≠cio para a consecu√ß√£o de atividades ilegais‚ÄĚ, declara.

Ao negar provimento ao recurso, a ministra destacou que os provedores de conte√ļdo n√£o respondem objetivamente pela inser√ß√£o no site, por terceiros, de informa√ß√Ķes ilegais e que eles n√£o podem ser obrigados a exercer um controle pr√©vio do conte√ļdo das informa√ß√Ķes postadas no site por seus usu√°rios. Mas, devem assim que tiverem conhecimento inequ√≠voco da exist√™ncia de dados ilegais no site, remov√™-los imediatamente, sob pena de responderem pelos danos respectivos, mantendo, dessa forma, um sistema minimamente eficaz de identifica√ß√£o de seus usu√°rios.

Como o Google adotou as medidas que estavam ao seu alcance visando √† identifica√ß√£o do respons√°vel pela inclus√£o no Orkut dos dados agressivos √† moral da recorrente, os ministros da Terceira Turma, em decis√£o un√Ęnime, seguiram o voto da relatora, negando provimento ao recurso.

A quest√£o pelo mundo

Esse √© um assunto de repercuss√£o internacional, que tem ocupado legisladores de todo o mundo e tem como tend√™ncia isentar os provedores de servi√ßo da responsabilidade pelo monitoramento do conte√ļdo das informa√ß√Ķes veiculadas em seus sites.

Os Estados Unidos alteraram seu Telecomunications Act (Lei de Telecomunica√ß√Ķes), por interm√©dio do Communications Decency Act (Lei da Moraliza√ß√£o das Comunica√ß√Ķes), com uma disposi√ß√£o que isenta provedores de servi√ßos na internet pela inclus√£o, em seu site, de informa√ß√Ķes encaminhadas por terceiros.

A Comunidade Europeia tamb√©m editou uma diretiva, intitulada ‚Äúaus√™ncia de obriga√ß√£o geral de vigil√Ęncia‚ÄĚ, que exime os provedores da responsabilidade de monitorar e controlar o conte√ļdo das informa√ß√Ķes de terceiros que venham a transmitir ou armazenar.

Contudo, essas normas n√£o livram indiscriminadamente os provedores de responsabilidade pelo tr√°fego de informa√ß√Ķes em seus sites. H√°, como contrapartida, o dever de, uma vez ciente da exist√™ncia de mensagem de conte√ļdo ofensivo, retir√°-la imediatamente do ar, sob pena de responsabiliza√ß√£o.

Existe no Brasil iniciativa semelhante, o Projeto de Lei n. 4.906/01, do Senado Federal, que reconhece expressamente a incid√™ncia do C√≥digo de Defesa do Consumidor ao com√©rcio eletr√īnico (artigo 30) e isenta os ‚Äúprovedores de transmiss√£o de informa√ß√Ķes‚ÄĚ da responsabilidade pelo conte√ļdo das informa√ß√Ķes transmitidas (artigo 35), desobrigando-os de fiscalizar mensagens de terceiros (artigo 37). Fixa, contudo, a responsabilidade civil e criminal do provedor de servi√ßo que, tendo conhecimento inequ√≠voco da pr√°tica de crime em arquivo eletr√īnico por ele armazenado, deixa de promover a imediata suspens√£o ou interrup√ß√£o de seu acesso (artigo 38).

Fonte: Coordenadoria de Editoria e Imprensa do STJ

21/07/2010

Inscreva-se no RSS

FISL 11 РEducação e Inclusão Digital

Filed under: Educa√ß√£o,Software Livre — admin @ 12:47 am

Caros/as

Amanhã, quarta-feira, começa o Fórum Internacional de Software Livre РFISL 11. Termina no sábado. Será na PUC-RS.

http://www.fisl.org.br

O evento tem previsão de participação 7 mil pessoas, com mais de 300 palestras.

Há trabalhos ótimos sobre software livre na educação. Veja abaixo.

Nos Grupos de Usuários haverá espaço permanente para:

Software Livre Educacional
Pandorga Gnu-Linux
Debian Brasil
Mulheres da Computação
Gubro-PR – Grupo de Usu√°rios BrOffice.org do Paran√°
Acessibilidade na Web
Texto Livre
Bancos de Sementes Livres
E mais: http://softwarelivre.org/fisl11/grupos-de-usuarios-do-fisl-11

Além disso, tem muitas outras coisas interessantes!

—–
Educação e Inclusão Digital

Fórum Internacional Software Livre РFISL 11

Algumas das palestras:

Software livre na escola: da Filosofia à implantação
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/activity/view?activity_id=632

Educa√ß√£o e software livre: op√ß√Ķes nas nuvens e nas m√°quinas
Prédio 40 РSala 601 РDIA 22/07/2010

FERES movendo a rede: educação popular, educação escolar e cultura livre
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/activity/view?activity_id=945

UCA РAbertura e Apresentação do Programa Um Computador por Aluno
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/activity/view?activity_id=975

UCA – Preparando para expans√£o: Li√ß√Ķes da Experi√™ncia Piloto Brasileira
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/activity/view?activity_id=977

UCA РApresentação de Professores e Crianças da Escola Luciana de Abreu
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/activity/view?activity_id=979

UCA РExperiências do Pré-Piloto de Porto Alegre, de Piraí РRJ,
Brasília, Palmas РTO e de São Paulo.
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/public/selected?event_id=1&area_id=16

Educação e software livre: professor, um jeito hacker de ser
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/activity/view?activity_id=536

Cultura Livre na Educação: os Recursos Educacionais Abertos
Prédio 9 РAuditório Рfisl 10 РDia 24/07/2010

——

Eventos comunit√°rios:

Educação (com software livre) é bom e eu gosto!
Prédio 5 РAuditório Рfisl 9 РDia 22/07/2010, às 15h

Cultura Digital: um movimento livre de educação popular e tecnologias
sociais
Prédio 40 РSala 601 Рfisl 7 РDia 23/07/2010

III Encontro TextoLivre e Underlinux sobre documentação em software livre
Sala 40-A fisl 6 РDia 21/07/2010, às 17h

—–

Trilha Educação e Inclusão Digital РTodas as palestras
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/public/selected?event_id=1&area_id=16

Grade geral da programação:
http://verdi.softwarelivre.org/papers_ng/public/fast_grid

29/10/2009

Inscreva-se no RSS

Prêmio Ação Coletiva

Filed under: Educa√ß√£o,Software Livre — admin @ 10:00 pm

Gente

Estou muito feliz!

Recebi o Pr√™mio A√ß√£o Coletiva, oferecido pelo Portal Software P√ļblico Brasileiro – SPB.

√Č a terceira edi√ß√£o do pr√™mio, que visa reconhecer a participa√ß√£o da comunidade do SPB na colabora√ß√£o volunt√°ria ao desenvolvimento e aprimoramento dos softwares disponibilizados no Portal.

A indicação ao prêmio foi uma iniciativa do Rainer e da Francine, coordenadores da comunidade de software livre educacional Pandorga Gnu/Linux. A escolha dos premiados foi realizada através de votos das pessoas cadastradas no SPB, em conjunto com a comissão julgadora.

A entrega do pr√™mio – um computador port√°til MacBook e uma placa met√°lica de reconhecimento – ocorreu no I Encontro Nacional do Software P√ļblico, realizado em Bras√≠lia, nos dias 27 e 28 de outubro.

Rainer e Francine, muito obrigado! Obrigado a todos que participaram da votação!

Para saber mais: O Pr√™mio A√ß√£o Coletiva 2009 √© organizado pela Associa√ß√£o de Tecnologias Abertas ATA, com o patroc√≠nio da Intel e o apoio t√©cnico do Portal de Software P√ļblico Brasileiro http://www.softwarepublico.gov.br.
Regulamento: http://www.softwarepublico.gov.br/reg_acao_coletiva3.
Comunidade Pandorga Gnu/Linux: http://www.softwarepublico.gov.br/dotlrn/clubs/pandorga.
I Encontro Nacional do Software P√ļblico: http://www.softwarepublico.gov.br/i-encontro-spb.
Notícias: http://tinyurl.com/acao-coletiva-1, http://tinyurl.com/acao-coletiva-2, http://tinyurl.com/acao-coletiva-3 e http://tinyurl.com/acao-coletiva-4.

14/09/2009

Inscreva-se no RSS

OpenOffice para crianças

Filed under: Educa√ß√£o,Inform√°tica,Software Livre — admin @ 3:17 pm

Recebi por email:

OOo4Kids, (pronuncia-se “OpenOffice for Kids”), √© um projeto em andamento, focado em crian√ßas entre 7 e 12 anos. Baseado no c√≥digo do OpenOffice.org, mas bastante simplificado. Isto significa, que o OpenOffice.org tem caracter√≠sticas que o OOo4Kids n√£o ter√°. Caso voc√™ precise destas caracter√≠sticas, use o OpenOffice.org, que voc√™ pode obter em http://download.openoffice.org/index.html

Aquele que desejar testar o OOo4Kids, numa versão ainda em desenvolvimento estável mas não completa (0.5), pode obtê-la em

=> http://download.openoffice.org/index.html

Este site √© provido por TuxServices (http://www.tuxservices.com), e mantido por Nicolas Jeudy e Ben Bois. Se voc√™ gostar de nosso trabalho, considere nos ajudar, com doa√ß√Ķes ou trabalho, atrav√©s da ONG EducOOo (http://www.educoo.org ), que mant√©m o OOo4Kids.

Antes de usar o OOo4Kids, você deve fazer um backup de seus documentos, e você NÃO deve usa-lo em ambiente de produção.

We currently only provide the following locales : french, spanish, english-US, portugese and german

Sistemas operacionais:

- OOo4Kids para Windows (XP mini) : O instalador est√° embutido. Siga as instru√ß√Ķes para utiliza-lo.

Problemas conhecidos: OOo4Kids funciona perfeitamente em paralelo com o OpenOffice.org, mas a associação dos arquivos, segue a ordem daquele que foi instalado por ultimo. Caso você deseje associar seus documentos com o OpenOffice.org, após instalar o OOo4Kids, reinstale o OpenOffice.org.

- Mac OS X (Intel e PowerPC) : Instala e funciona perfeitamente em paralelo com o OpenOffice.org.

Um duplo clique sobre o arquivo de download, vai montar a imagem de disco. Para instalar o software, coloque o √≠cone do OOo4Kids na pasta de Applica√ß√Ķes.

As preferências estarão em ~/Library/Application Support/OOo4Kids. Se você encontrar problemas, ou se você deseja remover o OOo4Kids, simplesmente jogue a pasta de preferências no lixo.

- Linux Intel : Disponibilizado em .tar.gz at√© que possamos entregar pacotes deb e rpm corretamente. : Descompacte o arquivo, e coloque-o em seu diret√≥rio pessoal. Localize o script “soffice” e clique nele duas vezes para iniciar o software.

Outras vers√Ķes (Linux PowerPC and Mips 32bits) estar√£o dispon√≠veis logo, e voc√™ pode nos contactar caso foc√™ deseje testar uma vers√£o mais antiga.

IMPORTANTE : Por favor, reporte qualquer erro na lista dev@listes.educoo.org (http://listes.educoo.org/mailman/listinfo/dev).

Por √ļltimo, mas n√£o menos importante, lembre-se que este software est√° em constante desenvolvimento, e existe riscos, como qualquer outro software. Leia cuidadosamente as instru√ß√Ķes na p√°gina de download.

09/10/2008

Inscreva-se no RSS

Alunos australianos podem usar eletr√īnicos para ‚Äúcolar‚ÄĚ

Filed under: Educa√ß√£o,Internet — Tags:, — admin @ 12:21 am

Fonte: http://www.geek.com.br/modules/noticias/ver.php?id=38273&sec=6

22/08/2008 07:08 –
Australianos podem usar eletr√īnicos para ‚Äúcolar‚ÄĚ

J√° conhecido por sua pol√≠tica de provas com ‚Äúlivro-aberto‚ÄĚ, a escola de ensino m√©dio (high school) da faculdade Presbyterian Ladies‚Äô College em Sydney inova permitindo que estudantes de ingl√™s, de 14 e 15 anos, utilizem tecnologia para obter ajuda. Dentre as fontes permitidas est√£o a Internet, iPods ou at√© mesmo um telefonema para algu√©m fora da escola.

A escola j√° adotava uma pol√≠tica onde os alunos podiam trazer livros de refer√™ncia para os testes e utiliz√°-los, com a condi√ß√£o de referenciar corretamente a fonte, para dar os devidos cr√©ditos ao ‚Äúdono‚ÄĚ da id√©ia, conta o World News Australia.

Por√©m, seguindo as tend√™ncias da evolu√ß√£o das m√≠dias de estudo e divulga√ß√£o de conte√ļdo, o col√©gio passou a incorporar os aparelhos eletr√īnicos ao processo de avalia√ß√£o.

Deirdre Coleman √© a respons√°vel pelo programa que incentiva os alunos a obterem a informa√ß√£o utilizando seus celulares, acessando a Internet ou escutando podcasts em seus iPods. Ela afirma que a inten√ß√£o √© preparar o estudante para o mundo que ele vai encontrar l√° fora. ‚ÄúEles n√£o precisam memorizar toda a informa√ß√£o. Atualmente o que eles precisam ser capazes de fazer √© utilizar os meios dispon√≠veis para obt√™-la e serem capazes de checar sua confiabilidade.‚ÄĚ Ela tamb√©m lembra que os alunos s√≥ ser√£o capazes de procurar por pequenos ‚Äúpeda√ßos de informa√ß√£o‚ÄĚ caso tenham uma vis√£o global do assunto, e apenas precisem verificar detalhes dela, diz o Sydney Morning Herald.

O teste do novo m√©todo foi feito com uma prova sobre linguagem persuasiva, tendo as olimp√≠adas como tema. ‚ÄúEles n√£o foram avaliados pelo conhecimento sobre os jogos, mas sim por sua capacidade de utilizar esse tipo de linguagem e por sua argumenta√ß√£o‚ÄĚ explicou a professora. A aluna Annie Achie, de 15 anos, afirmou que telefonar para sua tia a deu uma vis√£o melhor sobre o assunto: ‚Äúela me explicou como os investimentos s√£o aplicados na infra-estrutura do pa√≠s e n√£o diretamente no povo chin√™s.‚ÄĚ O tema da an√°lise era sobre os jogos serem um desperd√≠cio de dinheiro.

Para os patrocinadores da id√©ia, o importante √© ser capaz de utilizar a capacidade de racioc√≠nio para listar recursos e utiliz√°-los de forma r√°pida, eficiente e correta, e n√£o apenas ocupar ‚Äúespa√ßo em mem√≥ria‚ÄĚ com informa√ß√Ķes que est√£o dispon√≠veis a qualquer momento. O consultor educacional ingl√™s Marc Prensky afirma: ‚Äúpor qu√™ n√£o revolucionar o conceito de cola e incluir o mundo em nossa base de conhecimento?‚ÄĚ

Inscreva-se no RSS

Projetos de aprendizagem – Amora – CAp

Inscreva-se no RSS

Uso educacional da Internet

Filed under: Educa√ß√£o,Internet — Tags:, , , — admin @ 12:14 am

Caras/os

Vejam as páginas com trabalhos de professores do ensino fundamental sobre o uso de ferramentas da Internet na educação.

Quase todas as ferramentas são serviços que proporcionam interatividade e cooperação.

Sugest√£o: al√©m de visitar as p√°ginas dos trabalhos, utilizem os servi√ßos que foram objeto de an√°lise. √Č muito legal!

Uso educacional do Google Docs
http://sobregoogledocs.blogspot.com

Uso educacional de Histórias em Quadrinhos (Stripcreator)
http://hagaques.blogspot.com

Uso educacional de Apresenta√ß√Ķes (Toufee)
http://blogcolaborativog10proa17a.blogspot.com

Uso educacional de Apresenta√ß√Ķes (Thumbstacks)
http://tmbeloice.blogspot.com

Uso educacional de vídeos (Youtube)
http://proa17agrupo1youtube.blogspot.com

Uso educacional do del.icio.us
http://blogcolaborativog7proa17a.blogspot.com

Uso educacional do Bubbleshare
http://atividadesdasemana4.blogspot.com

Uso educacional de Flogs
http://atividadesdasemana4proa17.blogspot.com

Uso educacional de Mapas
http://mapasonline.blogspot.com

Uso educacional de fotos (Flickr)
http://conhecendoflickr.blogspot.com

Uso educacional do Orkut
http://educaorkut.blogspot.com

08/10/2008

Inscreva-se no RSS

ADAs – Ambientes Digitais de Aprendizagem

Filed under: Educa√ß√£o,Software Livre — Tags:, , , , — admin @ 11:53 pm

Ambientes Digitais de Aprendizagem disponíveis na UFRGS:

https://moodleinstitucional.ufrgs.br
https://www.ead.ufrgs.br/rooda
https://www.ead.ufrgs.br/navi

Há também o Teleduc, da Unicamp http://www.teleduc.org.br, que está disponível no endereço http://teleduc.cinted.ufrgs.br .

Ainda temos o Amadis, do Laboratório de Estudos Cognitivos LEC, coordenado pela professora Léa Fagundes, do Instituto de Psicologia da UFRGS, http://lucianadeabreu.no-ip.org:8080/amadis.

Postagens mais antigas »
ÔĽŅ

Software Livre WordPress