Acessibilidade TT

Seja bem-vindo ao projeto Acessibilidade TT

Alguns materiais escritos, por várias razões, podem equivaler a “ambientes” totalmente inacessíveis para um grande número de pessoas, portadoras de necessidades especiais ou não. Imaginemos “ambientes físicos” construídos por textos escritos, os quais nos apresentem informações sobre temas de Utilidade Pública, conhecimentos importantes, mas que, apenas pela leitura, pareçam difíceis de compreender. Nesses textos, faltam “rampas de acesso” para nos ajudar a entender a mensagem, a linguagem parece muito complexa e há, em geral, termos técnicos sem explicação ou mesmo várias palavras que achamos estranhas.

Partindo desse cenário, como linguistas, pessoas que se ocupam do descrever e analisar o funcionamento da linguagem, problematizamos o acesso à informação escrita sobre temas de Saúde e sobre diferentes temas de Utilidade Pública. Pensamos em sobre como se poderia ajudar a quem escreve esse tipo de texto a ficar mais perto da compreensão de leitura dos seus destinatários, tendo em mente trabalhadores entre 25 e 50 anos de idade, pessoas de escolaridade mais ou menos limitada e com pouca experiência em leitura.

Nosso foco principal de atenção, nesta pesquisa, que envolve todo um grupo de pessoas [veja + em EQUIPE], é a ACESSIBILIDADE TEXTUAL E TERMINOLÓGICA (ATT). Examinamos a formulação estrutural do texto escrito, com destaque para o todo do vocabulário - não só terminologias (!) - para as frases e sua articulação em um todo de sentido e de significação. Nosso principal objeto de estudo é o texto de divulgação científica produzido para pessoas leigas, o público em geral.

Com apoio do CNPq e do Google - LARA 2019, estamos desenvolvendo uma ferramenta para auxiliar a produção de textos simplificados sobre temas de Saúde para pessoas com escolaridade limitada. Veja aqui um resumo sobre a ferramenta.


NOVIDADES 2017 – 2021

Veja nosso ARTIGO-SÍNTESE 2017
VEJA NOSSOS PROJETOS RECENTES
Objetivos: dados linguísticos para a promoção da acessibilidade sobre temas de Saúde para leitores adultos de escolaridade limitada. VEJA + no menu ao lado!

Projeto 1:

FUNDAMENTOS LINGUÍSTICOS PARA A ACESSIBILIDADE DA INFORMAÇÃO CIENTÍFICA PARA LEITORES ADULTOS DE ESCOLARIDADE LIMITADA: SIMPLIFICAÇÃO TEXTUAL, GRAMATICAL, LEXICAL E TERMINOLÓGICA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE.
Linguistic Foundations for Accessibility of scientific information for low educated adult readers: textual, grammatical, lexical and terminological simplification in Health Sciences.
CNPq - Produtividade em pesquisa
305625/2016-0
INÍCIO: março/2017

Projeto 2:

DA DOENÇA DE PARKINSON A CUIDADOS BÁSICOS EM PEDIATRIA: ACESSIBILIDADE TEXTUAL E TERMINOLÓGICA PARA LEITORES BRASILEIROS DE BAIXA ESCOLARIDADE.
From Parkinson's Disease to preventive health care in pediatrics: textual and terminological accessibility for brazilian users with little schooling.
CNPq - Edital Universal
403521/2016-5
INÍCIO: julho/2017


EQUIPE DE PESQUISA

UFRGS:

  • Instituto de Letras: Prof. Dra. Maria José Bocorny Finatto (responsável e coordenadora)
  • Faculdade de Medicina/Depto. de Pediatria e Puericultura: Prof. Dr. Danilo Blank, médico Pediatra (pesquisador, consultor e colaborador)
  • Instituto de Informática: Profa. Dra. Aline Villavicencio (colaborador, pesquisador de Processamento da Linguagem Natural - PLN)

Consultoria - terminologias médicas:

Prof. Dr. Danilo Blank (UFRGS, Faculdade de Medicina, docente do PPG Ensino na Saúde- UFRGS) - CRM: 7316-RS.
Médico Pediatra. Doutor em Saúde da Criança e do Adolescente pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na linha de pesquisa de Educação e Saúde. Professor associado, Chefe do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Ensino na Saúde - Mestrado Profissional da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Membro do Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria. Instrutor da Residência Médica em Pediatria do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Atuação preferencial em pediatria ambulatorial, segurança, educação e publicações médicas. Editor associado do Jornal de Pediatria (SBP) e da revista Injury Prevention (BMJ Journals).

Aline de Souza Pagnussat – UFCSPA

Fisioterapeuta graduada pela Universidade Federal de Santa Maria, Mestre e Doutora em Neurociências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora Adjunta 3 da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da UFCSPA. Coordenadora do Programa de Pós- Graduação em Ciências da Reabilitação da UFCSPA.

Carlos Roberto de Mello Rieder - UFCSPA

Médico Neurologista. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2 - CA MD – Medicina - Professor dos programas de Pós Graduação em Reabilitação (UFCSPA) e Ciências Médicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Coordena o Grupo de Distúrbios do Movimento do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA); colaborador do Grupo de Distúrbios do Movimento do Hospital São Lucas da PUCRS. Diretor científico da Associação Parkinson do Rio Grande do Sul (APARS).