Ir para o conteúdo Ir para a navegação

Projeto Unimúsica

Renato Borghetti Quarteto e Alegre Corrêa série tempomúsicapensamento Renato Borghetti e Alegre Corrêa encontram-se no palco do Salão de Atos da UFRGS comemorar os trinta anos de criação do projeto Unimúsica. A apresentação, que integra a série tempomúsicapensamento, acontece no dia 10 de novembro, às 20h. Os ingressos podem ser retirados a partir do dia 07, das 9h às 18h, no mezanino do Salão de Atos ou pelo site www.difusaocultural.ufrgs.br.
Quando 10/11/2011
das 20:00 até 22:00
Onde Salão de Atos
Nome do Contato
Telefone do Contato 33083034
Adicionar evento ao calendário vCal
iCal

Renato Borghetti e Alegre Corrêa encontram-se no palco do Salão de Atos da UFRGS comemorar os trinta anos de criação do projeto Unimúsica.  A apresentação, que integra a série tempomúsicapensamento, acontece no dia 10 de novembro, às 20h. Os ingressos podem ser retirados a partir do dia 07, das 9h às 18h, no mezanino do Salão de Atos ou pelo site www.difusaocultural.ufrgs.br.

Músicos de performances bastante distintas, Renato Borghetti e Alegre Corrêa têm em comum uma consistente carreira internacional. Ambos portam as raízes locais em suas obras, mas as elaboram e transformam em uma música que reforça a ideia do caráter universal dessa linguagem artística, conseguindo comunicar aqui e em todo lugar. Quando estão juntos, esses instrumentistas sofisticados deixam vaneirões, polcas, chamarras e milongas surgirem de modo fluido, entre convenções e improvisos, graças à amizade de longa data e à admiração mútua. Renato e Alegre já dividiram o palco na Europa, em turnê pela Áustria, mas esta será a primeira vez que isso acontece no Brasil. Acompanhados pelos músicos que formam o quarteto de Borghettinho – Daniel Sá (violões), Pedrinho Figueiredo (flauta e sax) e Vitor Peixoto (piano) –, eles interpretarão composições do último trabalho de Borghetti, Fandango!, e temas clássicos do folclore gaúcho e do prata.

O berço da trajetória musical de Renato Borghetti foi o CTG 35, do qual seu pai era patrão à época. Sua vida profissional iniciou no cenário efervescente dos festivais de música nativista dos anos 1980 no Rio Grande do Sul. O primeiro álbum de Borghettinho alcançou a marca de cem mil cópias em poucos meses e tornou-se o primeiro disco de ouro da história da música instrumental brasileira. Na década de 1990, foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte; participou, como convidado, do Projeto Asa Branca, ao lado de Sivuca, Dominguinhos, Elba Ramalho e Alceu Valença; e representou o sul do país no projeto Brasil Musical, junto de Paulo Moura, Hermeto Pascoal, Wagner Tiso e Egberto Gismonti. Hoje ele mantém turnês regulares pela Europa, e sua produção fonográfica conta com mais de vinte discos gravados e dois DVDs.

 

Alegre Corrêa é gaúcho de Passo Fundo, mas há mais de vinte anos vive em Viena, na Áustria. Sua formação iniciou com o chamamé, a chacarera e a milonga, depois passou para o samba, a bossa nova e a MPB. Hoje desenvolve um trabalho em que incorpora influências especialmente de Hermeto Pascoal, Tom Jobim e Toninho Horta. Na Europa, participou de diversos grupos, com os quais percorreu os principais países daquele continente. Integrando o The Zawinul Syndicate, liderado pelo tecladista Joe Zawinul, fez turnês também nos Estados Unidos, na América do Sul e na Ásia, e recebeu o Grammy Awards, na categoria melhor álbum de jazz contemporâneo, pelo disco 75, no qual atuou como guitarrista. Um pouco de seu trabalho composicional ficou registrado em songbook lançado pela editora Honk Musikverlag, com partituras de obras gravadas nos CDs Infância e Negro coração.

O Projeto Unimúsica é uma promoção da Pró-Reitoria de Extensão da UFRGS – Departamento de Difusão Cultural.

Mais informações sobre esse evento…

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Av. Paulo Gama, 110 - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Rio Grande do Sul
CEP: 90040-060 - Fone: +55 51 33086000