Ir para o conteúdo Ir para a navegação

Você está aqui: Página Inicial Notícias Ceclimar promove roda de conversa sobre depósito de patentes

Ceclimar promove roda de conversa sobre depósito de patentes

06/12/2018 08:40

Com o intuito de desmistificar o processo de patentes, o Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos (Ceclimar) promove uma roda de conversa no dia 11 de dezembro. A atividade faz parte da divulgação do primeiro pedido de patente de invenção feito pelo Centro, em conjunto com Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, intitulado “Uso da Biomassa de Briófita como Agente Fitorremediador em Soluções Contaminadas por Metais e Nutrientes e Método de Obtenção das Biomassas Seca e Úmida”.

A invenção é fruto da pesquisa para o Trabalho de Conclusão de Curso da estudante Therrése Torres, do curso de Ciências Biológicas ofertado pelo Ceclimar em parceria com a UERGS. A pesquisa é orientada pela professora Juçara Bordin, da UERGS, e pelos técnicos da UFRGS Cacinele Mariana da Rocha, do Ceclimar, e Alan da Silva, do Instituto de Química.

Os inventores falarão sobre as premissas e o caminho trilhado até o momento do depósito. A roda contará ainda com a presença de Felipe Brandão, da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico – Sedetec/UFRGS, que apoiou todo o processo de registro do invento feito junto ao INPI, e de Guilherme Cañete Vebber, do Núcleo de Inovação Tecnológica – NIT/UERGS. O evento inicia a partir das 10h30, no Ceclimar (Av. Tramandaí, 976 – Imbé).

Sobre a pesquisa - A pesquisa foi feita a partir de 3 espécies (Ricciocarpos natans (L.) Corda, Sphagnum perichaetiale Hampe e Bryum muehlenbeckii Bruch & Schimp), que foram cultivadas em aquários, isoladamente, mantidas em temperatura ambiente e regime de luz natural. A escolha pela utilização de espécies de briófitas se deu pelo fato de serem plantas cosmopolitas, sem a presença de tecidos verdadeiros, bastante resistentes às alterações ambientais, e também muito utilizadas em laboratório pela simplicidade estrutural e rápida taxa de multiplicação.

A pesquisa testou também o uso delas sob a forma de biomassas secas e úmidas. Foram realizadas duas baterias, em que as briófitas foram expostas a diferentes soluções enriquecidas com elevadas concentrações de metais e nutrientes. Após os experimentos, as concentrações foram mensuradas, pelos métodos de absorção atômica e colorimetria, para verificar as concentrações residuais dos mesmos. Foi observada alta capacidade de remover significativamente os metais e nutrientes presentes na água. Foi possível estabelecer o grau de eficiência de cada uma das espécies, bem como a biomassa mais absorvente e os efeitos na físico-química das águas. Isso viabiliza a utilização destas espécies como absorventes naturais de metais e nutrientes para águas naturais e residuais.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Av. Paulo Gama, 110 - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Rio Grande do Sul
CEP: 90040-060 - Fone: +55 51 33086000