Ir para o conteúdo Ir para a navegação

Você está aqui: Página Inicial Notícias Pioneiro do controle de doping no Brasil, De Rose recebe título de professor emérito

Pioneiro do controle de doping no Brasil, De Rose recebe título de professor emérito

Professor da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança, Eduardo Henrique De Rose foi responsável pela criação do Laboratório de Pesquisa do Exercício
15/12/2016 13:08

Galeria de imagens

Na manhã de hoje, dia 15, em sessão especial do Conselho Universitário, foi outorgado ao professor Eduardo Henrique De Rose o título de Professor Emérito. Docente aposentado da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança e pesquisador pioneiro da área de controle de doping no Brasil, De Rose foi um dos precursores da área de Medicina do Esporte, com atuação na UFRGS desde 1968. Com uma trajetória acadêmica de mais de 30 anos, De Rose exerceu as funções de vice-diretor e de diretor da ESEFID, tendo sido criador do Laboratório de Pesquisa do Exercício (Lapex), em 1973, e seu coordenador, de 1973 a 1980.

O professor Alexandre Nunes foi o orador da sessão presidida pela reitora em exercício Jane Tutikian e que contou com a presença do secretário nacional da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Rogério Sampaio, representando o ministro do Esporte Leonardo Picciani. Nunes pontou elementos do extenso currículo do homenageado, destacando especialmente sua participação internacional, como membro de organizações antidoping atuante em todos os Jogos Olímpicos desde 1984. Desde 1969, De Rose é presidente da Comissão Médica da Organização Desportiva Pan-Americana, sendo responsável pela organização médica e controle de doping dos Jogos Pan-Americanos, desde San Juan até Toronto, em 2015. Participa, desde 1984, da Comissão Médica e Científica do Comitê Olímpico Internacional, atuando ativamente da organização dos serviços médicos e do controle de doping dos Jogos Olímpicos.

O orador chamou atenção para o empenho do professor De Rose em qualificar o corpo docente da Escola de Educação Física. A partir do doutorado do professor De Rose, realizado na Alemanha e contatos com a Universidade de Barcelona, sede das Olimpíadas de 1992, foi possível a formação de boa parte dos professores da Escola, durante a realização daqueles Jogos. O número de professores com título de doutor na Esef foi de três para 22, permitindo a abertura do curso de mestrado. Nunes disse ainda que De Rose sempre primava pela participação de grupos de professores da UFRGS nos eventos esportivos, permitindo ampla formação aos colegas docentes, incluindo o próprio orador.

Na área de extensão, o professor promoveu a integração da universidade com a sociedade por meio de projetos destinados à avaliação e prescrição de exercício físico para pacientes diabéticos e cardiopatas e para atletas, entre outros. Como decorrência destes projetos, instituiu o ensino da Fisiologia do Exercício, da Cineantropometria, da Cardiologia do Esporte, da Psicologia Esportiva e da Biomecânica no curso de Educação Física da UFRGS.

O medalhista olímpico e atual secretário da ABCD, Rogério Sampaio, relembrou os tempos de atleta em que costumava buscar nas entrevistas concedidas por De Rose as informações mais atualizadas sobre as substâncias de uso proibido. Sampaio disse ter profundo respeito e admiração pelo professor e transmitiu recado do ministro do Esporte sobre a dívida que o esporte brasileiro tem com o professor De Rose, pelo trabalho que realizou nas últimas décadas.

A atuação de Eduardo Henrique De Rose na formação de alunos na área de Medicina Esportiva foi ressaltada pela reitora em exercício Jane Tutikian. A reitora lembrou que os cursos ministrados pelo homenageado formaram mais de 100 alunos de diversos países, dando as bases para a área de Medicina Esportiva para as Américas do Sul e Central. Tutikian agradeceu o empenho do professor em construir a UFRGS de excelência, participativa e inclusiva.

Em sua fala, o professor De Rose contou sua aproximação com a UFRGS, após a formação em Medicina na primeira turma da Faculdade Católica de Medicina (FCM), em 1966, para a criação do curso de especialização em Medicina do Esporte, em 1968. Em momento de discussões sobre a pouca presença brasileira em Jogos Olímpicos, no início dos anos 1980, De Rose propôs projeto ao governo federal que garantiu cinco laboratórios de esporte para a Universidade, o que significou a criação do Lapex, que foi a primeira unidade médica brasileira a usar computador para diagnóstico, relatou o professor. Por fim, De Rose agradeceu a homenagem da UFRGS dizendo que já recebeu vários prêmios, mas que este é especial por ter origem na casa que se dedicou mais de 30 anos de trabalho.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Av. Paulo Gama, 110 - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Rio Grande do Sul
CEP: 90040-060 - Fone: +55 51 33086000