Ir para o conteúdo Ir para a navegação

Você está aqui: Página Inicial Notícias Projeto extensionista investe na cultura da prevenção

Projeto extensionista investe na cultura da prevenção

Iniciativa do Departamento de Engenharia Civil vem realizando oficinas e capacitações em escolas da rede pública estadual
23/02/2021 16:15

Com o propósito de colaborar na criação de uma cultura de segurança contra incêndios no ambiente escolar, a UFRGS vem desenvolvendo o projeto de extensão “Educar para prevenir: segurança contra incêndios nas escolas”. O objetivo final é reduzir as chances de perdas de vidas e de bens materiais.

A iniciativa coordenada pela professora Angela Gaio Graeff teve sua primeira edição em agosto de 2018 e, de lá para cá, promoveu treinamentos para professores e oficinas para crianças em quatro escolas públicas de Porto Alegre: Anne Frank, Dom Diogo de Souza, Itália e Instituto Rio Branco. No projeto, também foi desenvolvido um kit didático, incluindo sugestões de atividades para os professores e jogos pedagógicos para uso em sala de aula.

 

Fotos: Raquel Rodrigues | Acervo pessoal

Angela conta que, quando cursou seu doutorado na Inglaterra, precisou realizar um treinamento para situações de emergência, imprescindível para que obtivesse autorização de acesso ao prédio onde teria suas aulas. Há sete anos atuando como docente do Departamento de Engenharia Civil da Escola de Engenharia da Universidade, ela percebeu, ao ministrar a disciplina Noções básicas sobre incêndio, o quanto os futuros engenheiros tinham pouquíssimo conhecimento sobre como agir em situação de risco: “Se isso ocorria com nossos estudantes no final do curso, imagina no restante da sociedade brasileira”, diz a professora.

Por entender que esse desconhecimento revelava a carência de uma cultura de prevenção em nossa sociedade, Angela resolveu apostar no potencial da ação social extensionista, organizando um projeto de extensão na área da segurança contra incêndio voltado à capacitação de professores do ensino básico de escolas públicas. Segundo ela, a ideia era que os docentes pudessem não apenas disseminar esse conhecimento entre os estudantes, mas também promover a cultura da prevenção para além do ambiente escolar.

No âmbito da UFRGS, foram realizados workshops para estudantes de graduação em Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo, além de um curso de capacitação para professores e técnicos administrativos da Escola de Engenharia na área de segurança contra incêndio.

Encontro entre extensão e pesquisa


Paralelamente, o projeto foi contemplado com uma Bolsa de Iniciação ao Ensino de Ciências (BIENC) da Pró-Reitoria de Pesquisa em 2019, através do programa Ciência na Sociedade – Ciência na Escola, passando a contar com a estudante de Engenharia Civil Raquel da Silva Rodrigues. Além dela, colaboram com a iniciativa bolsistas de extensão e bolsistas voluntários e o grupo do Programa de Educação Tutorial (PET) Civil UFRGS.

Ao lado de Raquel, Angela publicou os resultados de uma pesquisa em duas comunidades escolares a fim de mapear a percepção de risco de incêndio: o Instituto Estadual Rio Branco e a Escola Estadual de Ensino Médio Itália. O estudo, que consistiu na aplicação de cinco tipos de questionários e teve mais de 1.200 respondentes, concluiu que a percepção do risco estava intimamente relacionada às informações de que cada grupo dispunha sobre o assunto. Conforme as autoras, “a falta de conhecimento sobre o que fazer em situações do cotidiano e também em relação à segurança contra incêndio faz-nos perceber o quanto a educação nesta área precisa ser desenvolvida. É necessário que existam medidas que trabalhem com todas as faixas etárias da sociedade brasileira conceitos básicos e detalhados sobre segurança contra incêndio, já que, segundo o levantamento, a maior parte dos alunos não sabe sequer o número do telefone do Corpo de Bombeiros”.

A professora ressalta que tanto a aplicação dos questionários quanto as atividades nas quatro escolas tiveram excelente receptividade: “Oferecemos um treinamento prático, destacando normas para evacuação dos prédios, sinalização das rotas de fuga e uso correto de extintores”. Durante a realização dessas ações, em que a ausência de Planos de Prevenção contra Incêndios (PPCIs) somada à falta de investimento na manutenção das escolas da rede pública ficaram evidentes, foram buscadas soluções de fácil aplicação: um exemplo foi a recomendação para que as escolas mantivessem abertas portas e janelas, geralmente trancadas por cadeados a fim de evitar o roubo de equipamentos, pelo menos durante o período das aulas. Ao reconhecer que a criação de uma cultura é um processo lento, Angela afirma que, se a iniciativa ajudar a preservar vidas, já terá valido a pena.

Atualmente, em função das restrições impostas pelo combate à pandemia da covid-19, o projeto não está desenvolvendo atividades, mas estuda produzir material para divulgação via redes sociais. Quem quiser enviar sugestões ou colaborar de alguma forma pode entrar em contato pelo e-mail scinasescolas_eeng@ufrgs.br

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Av. Paulo Gama, 110 - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Rio Grande do Sul
CEP: 90040-060 - Fone: +55 51 33086000