Ir para o conteúdo Ir para a navegação

Você está aqui: Página Inicial Notícias Relações conjugais: pandemia intensifica quadro anterior ao isolamento social

Relações conjugais: pandemia intensifica quadro anterior ao isolamento social

Pesquisa da UFRGS mostra que isolamento não gerou problemas conjugais, apenas revelou aspectos preexistentes
28/01/2021 13:18

Um trabalho do Núcleo de Pesquisa Dinâmica das Relações Familiares da UFRGS demonstrou que o isolamento social em função da pandemia de covid-19 não gerou novos problemas nas relações conjugais. A pesquisa foi realizada por meio de questionário online e contou com participação de 640 pessoas. Após analisar as respostas, os pesquisadores concluíram que o isolamento social provocou um aumento da intensidade do clima emocional existente entre o casal, ou seja, o que estava bom ficou melhor; o que não estava veio à tona.

As pessoas que responderam o questionário tinham entre 18 e 80 anos, sendo 60% mulheres. Para analisar os resultados, os dados foram separados em dois grupos: aqueles que apontavam uma melhora da relação e aqueles que mostraram uma piora. De acordo com Adriana Wagner, coordenadora do grupo de pesquisa e professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPSICO), do Instituto de Psicologia da UFRGS, o estudo indica que pessoas que apresentavam níveis baixos de qualidade conjugal foram as mais afetadas pelo período de distanciamento social. Cerca de 40% revelou ter vontade ou muita vontade de se separar. Por outro lado, aproximadamente 45% das pessoas que apresentavam bons níveis de qualidade conjugal relatou um aumento nas manifestações de carinho e afeto nesse período. Adriana comenta que muitas pessoas atribuíram à pandemia e ao contexto de confinamento os seus problemas conjugais, como se fossem novos fatores nas relações. No entanto, salienta que essa não é a lógica, pois o isolamento apenas aumentou a intensidade da convivência e favoreceu que se revelasse o clima emocional existente entre o casal. Os dados dos questionários foram coletados durante junho e julho de 2020 por meio de divulgação em redes sociais do grupo de pesquisa.

A psicóloga esclarece que quando se estuda o relacionamento conjugal há três níveis a serem analisados: o indivíduo, isso é, o cônjuge e suas características de personalidade, a interação que o casal estabelece e como enfrenta conflitos e o contexto em que estão inseridos. Dessa forma, a pandemia trouxe um novo contexto para os casais, o qual intensificou os aspectos preexistentes dos relacionamentos. “Foi um palco para peculiaridades aparecerem”, diz.

Confira a matéria na íntegra no portal UFRGS Ciência.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Av. Paulo Gama, 110 - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Rio Grande do Sul
CEP: 90040-060 - Fone: +55 51 33086000