O Professores da Faculdade de Agronomia Ibanor Anghinoni, Luiza Rodrigues Redaelli e Renar João Bender foram agraciados com o prêmio “O FUTURO DA TERRA”, 23ª. Edição, 2019. Ao todo, são oito premiados, distribuídos dentro das categorias Cadeia de Produção e Alternativas Agrícolas; Inovação e Tecnologia Rural; Preservação Ambiental e Startup do Agronegócio, além do Prêmio Especial. Os vencedores foram selecionados por um colegiado especial, composto por membros do Comitê de Assessoramento Científico e Tecnológico da Área de Ciências Agrárias da FAPERGS.

O Prof. Ibanor Anghinoni, professor titular aposentado do Departamento de Solos, Docente Convidado do PPG Ciência do Solo e consultor técnico do IRGA, foi reconhecido na categoria “Prêmio Especial”, concedido pelo conjunto da obra a pesquisador destacado e com reconhecidos méritos por sua contribuição para o avanço do conhecimento em alguma área do agronegócio. Além de sua destacada atuação na formação de recursos humanos, os trabalhos realizados pelo professor Ibanor e seu grupo de pesquisa no tema da fertilidade do solo têm grande impacto e contribuem com muitas informações e tecnologias para as produtividades das culturas alcançadas pelos agricultores do Sul do Brasil e para o crescente aumento de eficiência técnica, econômica e ambiental de sistemas integrados de produção agropecuária, tema em que tem concentrado suas atividades nos últimos anos, em experimentos de campo de longo prazo.

A Profa. Luiza Rodrigues Redaelli, professora titular da área de entomologia Departamento de Fitossanidade e docente permanente do PPG Fitotecnia, foi premiada na categoria Preservação Ambiental, referente a projetos e pessoas que se destacam por aliar produção e preservação do ambiente. Com base no Laboratório de Biologia, Ecologia e Controle Biológico de Insetos, o trabalho de pesquisa e formação de recursos humanos da Profa. Luiza e seu grupo é dedicado ao estudo e desenvolvimento de inimigos naturais das pragas de diversas culturas, com foco no controle biológico, de modo a evitar ou usar de maneira seletiva os controles químicos, com menos aplicações de pesticidas. Estes estudos são motivados pelo aumento de problemas ambientais, como contaminação de alimentos e desequilíbrios nos ecossistemas da produção.  

O Prof. Renar João Bender, professor titular da área de pós-colheita do Departamento de Horticultura e Silvicultura e docente permanente do PPG Fitotecnia, foi premiado na categoria Inovação e Tecnologia Rural, que destaca novos sistemas, técnicas ou equipamentos que contribuem para melhoria da produção e da produtividade rural. Tendo como base o Laboratório de Pós-Colheita, o Prof. Bender e seu grupo de trabalho focam na pesquisa e formação de recursos humanos em tecnologias de tratamento e conservação pós-colheita de produtos hortícolas, como hortaliças, frutas e flores, contribuindo para a busca da diminuição das perdas de alimentos, que chegam a um terço do que é produzido na cadeia pós-colheita, segundo dados da FAO. Um dos trabalhos de destaque, conduzido em parceria com o Laboratório de Eletroeletrônica da Escola de Engenharia da UFRGS, é o desenvolvimento de sensores para avaliar danos fisiológicos que os produtos sofrem no trajeto da colheita até o mercado e seus impactos na conservação até o consumo. Por iniciativa do Prof. Bender, a UFRGS é a única instituição do Brasil integrante do World Food Preservation Center (http://www.worldfoodpreservationcenter.com).

Também na categoria Inovação e Tecnologia Rural foi premiado o recém-doutor do PPG Ciência do Solo, Jackson Freitas Brilhante de São José, pesquisador do DDPA Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural-RS). Seu trabalho tem por foco a prospecção e uso de rizóbios, bactérias fixadoras de nitrogênio em leguminosas, na cultura da acácia-negra, importante espécie florestal, tendo o RS como maior produtor nacional.

O prêmio “O Futuro da Terra” é promovido pelo Jornal do Comércio em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (FAPERGS) e concedido anualmente, desde 1997, por ocasião da EXPOINTER. Tem por objetivo homenagear pessoas e projetos que se destacam no desenvolvimento da pesquisa e da tecnologia agropecuária no Rio Grande do Sul.

Durante suas 23 edições, incluindo a atual, a FAGRO foi contemplada com 33 premiações de docentes e 5 premiações institucionais.

A solenidade de premiação desta edição ocorrerá durante a 42a. Expointer, no dia 26 de agosto de 2019, segunda-feira, às 19:30h, no Auditório da FARSUL, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.

Reportagens com mais detalhes sobre o trabalho dos agraciados estão sendo publicadas no JC a partir de 19/08 e podem ser acessadas nos endereços abaixo:

 

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/expointer/2019/08/698649-o-futuro-da-terra-valoriza-pesquisa-no-campo.

 

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/expointer/2019/08/699293-agronegocio-busca-conciliacao-com-ambiente.html

 

 

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/expointer/2019/08/698885-pesquisadora-foca-no-controle-natural-de-pragas-em-diversos-tipos-de-producao.html

 

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/expointer/2019/08/698888-sensores-monitoram-perdas-de-alimentos.html

 

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/expointer/2019/08/699168-pesquisas-com-acacia-negra-qualificam-a-producao-estadual.html

 

https://fapergs.rs.gov.br/o-futuro-da-terra-valoriza-pesquisa-no-campo

 

FOTOS DA PREMIAÇÃO:   Link 1    Link 2