MITIGAÇÃO DA COMPACTAÇÃO DO SOLO COM O USO DE PLANTAS DE COBERTURA

 

ALTAMIR MATEUS BERTOLLO

Engº Agrônomo (UFSM)

Mestre em Agronomia  (UFSM)

 

Orientador: Prof. Renato Levien

 

01/NOV/2017   

Após o Seminário de Luís Fernando da Silva 

SALA  PG08

 

 

 RESUMO:

 

A área de produção agrícola no Brasil cresceu consideravelmente nas últimas décadas. Acompanhando o aumento da área de plantio, houve também avanços nos sistemas produtivos, com destaque para o sistema de plantio direto na palha (SPD). Introduzido a partir da década de 1970 com o intuito de minimizar os estragos da erosão hídrica nas áreas agrícolas, o SPD se multiplicou e hoje é o sistema de cultivo mais utilizado, com aproximadamente 32 milhões de hectares. Apesar de todas as melhorias que esta técnica disponibiliza para o sistema, tem-se constatado problemas de formação de camadas compactadas em subsuperfície (camada de 10 – 15 cm de profundidade), onde ocorrem limitações ao desenvolvimento radicular das culturas. As justificativas para este problema se dão pelo mau uso do SPD, principalmente com a ausência de rotação de culturas. A hipótese deste trabalho é de que o uso de plantas de cobertura é capaz de mitigar a compactação do solo e melhorar o ambiente para o desenvolvimento radicular da soja. Assim, foi implantado na Fazenda Experimental da Embrapa Soja, em Londrina – PR, um experimento com níveis de compactação do solo (Escarificado, SPD contínuo; SPD + 4 tráfegos de trator 7,2 Mg; SPD + 8 tráfegos de colhedora 9,5 Mg) e plantas de cobertura (aveia, braquiária, milho e trigo). Os níveis de compactação do solo foram aplicados no inverno de 2013, antecedendo o cultivo de trigo em área total; o cultivo de verão para todos os anos foi de soja em área total e, no inverno de 2014 e 2015 foram cultivados com os tratamentos espécie vegetal. Foram coletadas amostras indeformadas para determinação dos parâmetros físicos do solo e monólitos de solo para obtenção do sistema radicular da soja. A produção de grãos da soja foi influenciada pelo tráfego de máquinas nos tratamentos braquiária e trigo. Em ambos os tratamentos onde a soja foi cultivada sob SPD contínuo apresentou a maior produção de grãos. Os parâmetros físicos do solo apresentam alterações para os tratamentos manejo do solo, em que o solo escarificado apresenta menores valores de densidade e maiores valores para a porosidade. Já para o tratamento trafegado por colhedora, permanecem os efeitos da compactação. O desenvolvimento radicular da soja foi influenciado pelos tratamentos níveis de compactação do solo, em que o tratamento com maior tráfego sobre a área causou diminuição do crescimento nas camadas de 0,10 a 0,30 m de profundidade. A partir da análise realizada dois anos após a implantação dos tratamentos não foi possível diagnosticar efeitos do uso de plantas nas propriedades físicas do solo avaliadas.