Seminário do PPGCS

Data: 8/NOV/2017    Horário: após o Seminário de Juscilaine Gomes Martins   Sala: PG08

Adsorção de sulfato de amônio em biocarvão e em composto de dejetos de líquidos de suínos

Ana Cristina Lüdtke, Tecnóloga em Agropecuária Integrada (UERGS) e  Mestre em Ciência do Solo (UFRGS)

Orientadora: Deborah Pinheiro Dick

  

Resumo

Na região Sul do Brasil, a produção de carvão vegetal é realizada de forma artesanal e rudimentar onde a biomassa é submetida a uma pirólise lenta em temperaturas inferiores a 400°C e em presença limitante de oxigênio. Os finos de carvão (denominados de biocarvão (BC) neste estudo) oriundos desse processo, não são comercializados sendo descartados no ambiente. O uso do BC na agricultura promove efeitos benéficos nas propriedades físico-químicas dos solos, contribuindo também para a redução de gases de efeito estufa (N2O e CH4) e sequestro de C no solo. Recentes estudos apontam que o BC possui propriedades que lhe confere uma capacidade de retenção do íon amônio (NH4+) influenciando diretamente na dinâmica do N no solo. As isotermas de adsorção são essenciais para descrever as interações entre o adsorvente e o íon a ser adsorvido da solução (NH4+) após o equilíbrio, permitindo interpretar e predizer os dados de adsorção por meio de equações empíricas relativamente simples. Os parâmetros das equações dos modelos em equilíbrio podem informar sobre o mecanismo de adsorção, e afinidade do adsorvente. O objetivo do estudo foi investigar o potencial de adsorção de N na forma de sulfato de amônio (NH4)2SO4 no biocarvão, em solo e em composto de dejetos líquidos de suínos com BC.

 Para os ensaios de adsorção de N-NH4+ diferentes tipos de adsorventes foram utilizados: um solo, dois tipos de composto orgânico e biocarvão. Aos adsorventes foi adicionada solução aquosa contendo sulfato de amônio ((NH4)2SO4) em diferentes concentrações (0, 10, 30, 60 e 80 mg L-1 de N-NH4+). As quantidades adsorvidas foram determinadas mediante análise do amônio no sobrenadante, e os dados foram ajustados às isotermas de Langmuir e de Freundlich. Considerando os valores de R2adj e Ferror o modelo de adsorção de Freundlich apresentou melhor ajuste aos dados de equilíbrio. Entre os adsorventes testados, o biocarvão apresentou a maior capacidade de adsorção e maior afinidade superando em 10 vezes o valor observado para o argissolo. Estes resultados indicam que o BC quando adicionado ao solo pode atuar como um armazenador de N.