DEFESA  DE TESE DE DOUTORADO DE

FRANCIANE LEMES DOS SANTOS

            Engenheira Agrônoma (UEMS)

            Mestre em Agronomia (UFG)

 

 

Orientador: Prof. Enilson Luiz Saccol de Sá

 

Título: “INOCULAÇÃO E COINOCULAÇÃO DE RIZOBACTÉRIAS PROMOTORAS DE CRESCIMENTO EM PLANTAS DE ARROZ, MILHO E TRIGO

 

Data: 23/03/2018, às 08:30h, na Sala de Reuniões do Departamento de Solos da Faculdade de Agronomia/UFRGS

 

Banca Examinadora:

-Prof. Christian Bredemeier – Departamento de Plantas de Lavoura/UFRGS;

-Prof. Benjamin Dias Osório Filho – UERGS;

-Dr. Aleksander Westphal Muniz – EMBRAPA Amazônia Ocidental.

 

 

Resumo:

A utilização das técnicas de inoculação e coinoculação de rizobactérias promotoras do crescimento de plantas (RPCPs) pode ser uma alternativa com grande potencial para o mercado agrícola, visando uma maior eficiência no uso de fertilizantes e consequentemente redução do impacto ambiental. Os rizóbios também apresentam capacidade para a promoção do crescimento de gramíneas, grupo de plantas no qual essas bactérias não realizam a fixação simbiótica de nitrogênio. Nesse contexto, a principal hipótese do trabalho é que o desenvolvimento de gramíneas é beneficiado quando as plantas são inoculadas com RPCPs. O objetivo geral deste trabalho foi verificar a capacidade de rizóbios em promover o crescimento dos cereais: arroz, milho e trigo, inoculados isoladamente e coinoculados com Azospirillum brasilense. Os experimentos foram realizados a campo e em casa de vegetação, com plantas de arroz, milho e trigo, inoculadas e coinoculadas com os rizóbios UFRGS Vp16 e UFRGS Lc348, e A. brasilense, e sob níveis de doses de nitrogênio recomendadas para cada espécie vegetal. A inoculação de rizóbios, isoladamente ou em coinoculação com A. brasilense promove aumentos de produção de grãos de milho híbrido (Morgan 30A77PW) em manejo sequeiro e irrigado. Em áreas de pousio a coinoculação do rizóbio UFRGS Lc348+A. brasilense mantem o rendimento de grãos de arroz (cultivar IRGA 424), com 60% da dose nitrogênio recomendada. Já em safras com inoculações sucessivas na área de plantio, todos os tratamentos com RPCPs e 60% da dose de nitrogênio, mantêm o rendimento de grãos. Em plantas de trigo (cultivares TBIO Sossego e BRS Parrudo), a inoculação e coinoculação aumentam o rendimento de grãos. A cinética de absorção de nitrogênio em plantas de milho híbrido (Morgan 30A77PW) é modificada pela inoculação com rizóbios UFRGS Vp16 e UFRGS Lc348 tanto de forma isolada, ou coinoculada com A. brasilense.