DEFESA DE TESE

QUALIDADE DO SOLO E CICLAGEM E BALANÇO DE NUTRIENTES EM SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA EM TERRAS BAIXAS

José Bernardo Moraes Borin

Engenheiro Agrônomo (PUC-RS),  Mestre em Ciência do Solo (PPGCS-UFRGS)

Orientador: Ibanor Anghinoni

 
27/04/2018, às 14h, na Sala de Reuniões do DESOLOS/FAGRO

Banca Examinadora:

- Amanda Posselt Martins – Departamento de Solos/UFRGS;

- Taise Robinson Kunrath – Departamento de Plantas Forrageiras e Agrometeorologia/UFRGS;

- Filipe Selau Carlos – IRGA-RS.

 Resumo:

Nas terras baixas do Rio Grande do Sul há o predomínio do cultivo do arroz irrigado. As práticas agrícolas empregadas, como pousio de inverno e monocultivo associado ao contínuo revolvimento do solo, tem se mostrado insustentável. Por isso, sistemas integrados de produção agropecuária (SIPA), aliados às práticas de manejo conservacionista do solo, estão sendo vislumbrados para as terras baixas. Nesse contexto, foi utilizado um protocolo experimental implantado em 2013 em planossolo háplico no município de Cristal/RS. Os tratamentos consistem em diferentes SIPA, com arranjos espaço-temporais na diversificação de culturas e intensidade de cultivo do arroz, sendo eles: S1. Monocultivo de arroz-pousio (testemunha, com preparo de solo); S2. SIPA arroz-azevém pastejado; S3. SIPA em rotação soja/arroz–azevém pastejado; S4. SIPA, em rotação capim sudão pastejado/soja/milho arroz–azevém+trevo branco pastejado; S5. Azevém+trevo branco+cornichão - campo de sucessão pastejados (todos em semeadura direta). Foram avaliados os atributos da matéria orgânica do solo (carbono e nitrogênio, total e suas frações), físicos (estabilidade de agregados, densidade e porosidade) e químicos (indicadores de fertilidade) e suas relações pela análise de componentes principais para inferir sobre a qualidade do solo. Foram também avaliados, a contribuição do resíduo vegetal na liberação dos nutrientes, assim como, a produtividades das culturas, a exportação, o balanço e a eficiência de uso dos nutrientes entre os diferentes sistemas. O sistema de maior riqueza de espécies forrageiras e maior frequência de pastejo (Sistema 5) é o que confere melhor qualidade do solo em curto prazo, por relacionar-se positivamente com as variáveis envolvendo matéria orgânica e agregação. No geral, a adoção dos SIPA com práticas conservacionistas no médio prazo, modificam os atributos de qualidade do solo apenas na camada superficial. Esses sistemas resultam em maior produtividade do arroz em relação ao S1. Eles também apresentam saldo positivo de fósforo e potássio, no entanto, ocorrem perdas de nutrientes pelas saídas não produtivas. Com isso, a eficiência de uso dos nutrientes torna-se menor quando se aduba todos os cultivos dos SIPA para alta produtividade. Embora o monocultivo intensivo de arroz irrigado solo acumule matéria orgânica ao longo do tempo, esta é de menor qualidade. A decomposição da pastagem hibernal é mais rápida em presença de lâmina de água no arroz irrigado em relação aos cultivos de sequeiro, que são mais influenciados pela natureza e constituição do resíduo. A ciclagem de nutrientes nesses sistemas integrados é relevante, principalmente para potássio, pois os resíduos das pastagens liberam grande parte da necessidade dos nutrientes das culturas sucessoras.