MELHORIA DA QUALIDADE ESTRUTURAL DE LATOSSOLO VERMELHO PELA AÇÃO DE PLANTAS DE COBERTURA

ALTAMIR MATEUS BERTOLLO

            Engº Agr.(UFSM), MSc Agronomia (UFSM)

 Orientador: Prof. RENATO LEVIEN


25/05/2018 - 09:30h, na Sala de Defesas 1 – Prédio Central/FAGRO/UFRGS

 

Banca Examinadora:

- Michael Mazurana – Departamento de Solos/UFRGS;

- Madalena Boeni – Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária - SEAPI/RS

- Vanderlei R.da Silva – Dep. Ciências Agronômicas e Ambientais/CESNORS-UFSM.

 

Resumo:

O uso agrícola dos solos modifica as suas propriedades físicas. O tráfego de máquinas é uma das principais causas de alterações na distribuição do espaço poroso. Nos casos onde a compactação impede o desenvolvimento dos cultivos, é realizada a escarificação do solo. Contudo, é importante que sejam realizadas práticas de cultivo que previnam a compactação do solo por meio da ação do sistema radicular das plantas. O uso de espécies vegetais contribui na estruturação do solo, aporte de resíduos na superfície e no perfil do solo e ciclagem de nutrientes com a sua decomposição. Para avaliar a capacidade de mitigação da compactação do solo pelo uso de plantas de cobertura, implantou-se experimento com o uso de espécies vegetais em níveis de compactação de Latossolo Vermelho, realizando-se três estudos. No primeiro, aborda-se as alterações das propriedades físicas do solo pelo uso de diferentes espécies vegetais na recuperação da estrutura do Latossolo. Para tanto, coletou-se amostras indeformadas de solo entre 2013 e 2015, durante o cultivo da soja. Diagnosticou-se que o tráfego de máquinas agrícolas ocasionou aumento na densidade, resistência à penetração e microporosidade, com redução na macroporosidade e porosidade total. Ainda, o uso de plantas de cobertura durante dois anos auxiliou na reestruturação do Latossolo, com a diminuição das perturbações causadas pelos tratamentos onde o solo foi trafegado. O segundo estudo investigou o efeito do uso das gramíneas em níveis de compactação de Latossolo no desenvolvimento radicular e desempenho produtivo da soja. Para esta avaliação, coletou-se monólitos de solo até a profundidade de 0,5 m. Verificou-se que o preparo reduzido do solo com escarificação e a área com tráfego intenso de colhedora influenciaram negativamente a produção de grãos de soja, a qual apresentou maior produção em Sistema Plantio Direto (SPD) cultivada subsequente às espécies braquiária e trigo. Também, a densidade do solo com valores acima de 1,2 Mg m-3 prejudicou o desenvolvimento do sistema radicular da soja. No terceiro estudo, utilizou-se a microtomografia computadorizada para diagnosticar o efeito do sistema radicular de braquiária e milho na reestruturação de Latossolo com níveis de compactação. A análise microtomográfica apresentou que o tráfego com colhedora diminuiu o número e a conectividade dos poros do solo. Contudo, o cultivo de milho proporcionou ambiente com maior presença e conexão de poros. Com os três estudos, é possível concluir que o tráfego de máquinas apresenta restrições ao desenvolvimento das culturas, mas o uso de espécie vegetal é capaz de mitigar a compactação gerada pelo tráfego. Neste experimento, a braquiária e o trigo cultivados em SPD proporcionaram maior produção de grãos de soja, enquanto que o milho modificou a distribuição de poros na camada superficial do solo.