DEFESA DE TESE

“Atributos Químicos e Biológicos Relacionados à Emissão de Gases de Efeito Estufa de Solos Agrícolas com Aplicação de Dejetos Animais”

Yara Jurema Barros

Tecnóloga em Química Ambiental (UTFPR),  MSc Ciências do Solo (UFPR)

 Orientador: Prof. Carlos Alberto Bissani

 Data: 28/06/2018, às 14h, na Sala de Reuniões do DSolos/FAGRO/UFRGS

 Banca Examinadora:

Bruno Brito Lisboa – Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação-RS;

Daiane Carvalho dos Santos – UFRGS;

Cimélio Bayer – PPG Solos/UFRGS.

 Resumo:

A disposição de dejetos animais resulta no incremento de alguns elementos-traço (ET) no solo, sendo que estes têm potencial poluidor dependo de fatores como tempo e dose de aplicação. Destacam-se nos dejetos das criações de suínos e aves o cobre (Cu) e o zinco (Zn). Assim sendo, objetivou-se avaliar a que formas químicas os ET estavam associados no solo; o efeito residual da aplicação de dejetos de animais a longo prazo sobre a população bacteriana; o potencial de retenção de Cu e Zn pelo solo e a emissão de gases do efeito estufa, monitorada pela atividade microbiana, em resposta à adição de Cu e Zn. Para tanto, foram utilizadas amostras de solo (0-10 cm) de dois experimentos de campo, localizados no Oeste de Santa Catarina, em delineamento de blocos casualizados, com três repetições. Na área 1, foram avaliados os tratamentos controle (C, adubação mineral sem nitrogênio); esterco líquido de suínos (ELS) e adubação mineral (AM, adubação mineral com nitrogênio). Na área 2, foram avaliados os tratamentos testemunha (T, sem dejetos); composto de esterco suíno (CES) e composto de esterco de aves (CEA). O fracionamento químico dos ETs nas amostras de solo foi realizado conforme Tessier et al. (1979), verificando-se que estes encontram-se principalmente em formas menos solúveis e disponíveis no solo. A diversidade bacteriana foi avaliada com amplificação parcial do gene 16S rRNA e posterior sequenciamento, não havendo diferença significativa entre os tratamentos pelo índice de Shannon em nenhuma das áreas. Em laboratório, foram aplicadas ao solo doses de Cu e Zn com base na capacidade máxima de adsorção (CMA),  para mensuração dos efeitos na emissão de CO2, CH4 e N2O e na atividade microbiana (FDA). Os ET tiveram efeito variável sobre as emissões de CO2 e N2O, com casos de aumento. Já a atividade microbiana foi afetada de forma negativa e a emissão de CH4 não foi influenciada.