DEFESA DE TESE

 

“DIVERSIDADE E COMPOSIÇÃO DAS COMUNIDADES MICROBIANAS EM SOLOS SOB CULTIVO DE VIDEIRA”

 

NAIHANA SCHÄFFER, Engo. Agrônoma (UFRGS), MSc Ciência do Solo (UFRGS)

 

Orientador: Flávio Anastácio de Oliveira Camargo

 

29/04/2019, 09:30h, na Sala de Reuniões DSOLOS/FAGRO/UFRGS

 

Banca Examinadora:

-Enilson Luiz Saccol de Sá – PPG Ciência do Solo/UFRGS;

-Lucas da Ressurreição Garrido – EMBRAPA Uva e Vinho; e

-Roberta Fogliatto Mariot – Florida Internacional University.

 

 

Resumo:

O solo é dos grandes reservatórios de diversidade genética de microrganismos. O sequenciamento de alto rendimento da região V3-V4 do 16S rRNA para amostras ambientais é possível identificar um grande número de bactérias e arqueobacterias, determinar as estimativas de dominância microbiana, os índices de diversidade e as relações das comunidades microbianas com fatores ambientais. Nesse contexto, três estudos foram desenvolvidos com o intuito de avaliar a respostas da comunidade microbiana aos atributos químicos físicos e biológicos do solo com altas concetrações de cobre (Cu). No Estudo 1 e 2 selecionou-se três áreas da região da Serra Gaúcha sob cultivo de videira: Caxias do Sul (CX), Flores da Cunha (FC) e Farroupilha (FA) que foram compostas de três tratamentos: vinhedo antigo (A), vinhedo renovado (RN) e área de referência (NAT). No Estudo 1 analisou-se as relações entre as propriedades químicas e biológicas com a diversidade bacteriana dos solos. A  respiração microbiana do solo (RM), atividade microbiana total (FDA) e o quociente metabólico qCO2 diferiram significativamente entre os tratamentos nas três áreas de estudo. A diversidade alfa variou nos tratamentos FC e FA e não diferiu estatisticamente entre os tratamentos de CX. No Estudo 2 o filo Proteobacteria apresentou as maiores taxas de abundância relativa nas três áreas e 173 gêneros bacterianos foram identificados. A analise de PCoA demonstrou que há grupos distintos em cada tratamento nas áreas de FC e FA e um grupo comum entre os tratamentos A e RN diferindo do NAT para área CX. Analise de correspondência canônica (CCA) demonstrou que os fatores ambientais (pH, Cu, C e N) contribuíram para a diferenciação da comunidade bacteriana nas três áreas de estudo. No Estudo 3 buscou determinar a composição e a diversidade bacteriana presente em um Cambissolo Húmico, contaminado abruptamente com Cu. O filo mais abundante foi o Proteobacteria em ambos os tratamentos, com mais de 50% de abundância relativa média. A classe Beta- Proteobacteria foi a mais representativa dento desse filo. Os índices de riqueza foram alterados em função da adição de Cu ao solo, não sendo verificadas alterações no índice de diversidade de Shannon. A CCA demonstrou que dentre os fatores ambientais analisados o Cu influenciou na diferenciação das comunidades entre os tratamentos com e sem adição de Cu.