DEFESA DE DISSERTAÇÃO

 

CARACTERIZAÇÃO DOS SEDIMENTOS DO ARROIO DILÚVIO E DETERMINAÇÃO DA FITORREMEDIAÇÃO DE PLANTAS ESPONTÂNEAS DO SISTEMA PARA A CARGA DE METAIS PESADOS”

 

VINÍCIUS MAGGIONI DOS SANTOS, Engo. Agrônomo (UFRGS)

 

Orientador: Flávio Anastácio de Oliveira Camargo

 

30/04/2019, 09:30h, na Sala de Reuniões do Departamento de Solos - Faculdade de Agronomia/UFRGS

 

Banca Examinadora:

-Carlos Gustavo Tornquist – PPG Ciência do Solo/UFRGS;

-Luis Alberto Basso – PPG Geografia/UFRGS; e

-Maria Lúcia Kolowski Rodrigues – FEPAM.

 

 

Resumo:

O Arroio Dilúvio é um córrego urbano que percorre aproximadamente 15 km em áreas de grande concentração populacional do munícipio Porto Alegre (RS). Esse córrego está fortemente presente na história do desenvolvimento dessa cidade. O arroio Dilúvio sofre com vários problemas, desde suas margens ocupadas por moradias inadequadas a partir de suas nascentes até seu leito que recebe todas as formas de esgoto e sedimentos produzidos pela construção civil. O objetivo deste estudo foi analisar a poluição por metais potencialmente tóxicos no arroio Dilúvio. Os estudos envolveram um levantamento sobre a história ambiental do arroio Dilúvio, análise físico-química dos sedimentos de fundo ao longo do percurso do arroio e o potencial de fitorremediação das plantas espontâneas identificadas nas barras de sedimentos formadas na parte canalizada do arroio. Os sedimentos foram coletados de forma composta em 15 pontos distribuídos nos seus 17,6 km em quem correm seu curso d’água. Os resultados mostraram que os sedimentos são predominantemente arenosos apresentando maiores teores de contaminantes nos pontos que apresentaram partículas mais finas (< 0,62mm), com níveis crescente de metais e P total ao longo do Arroio Diluvio avança para sua foz. Apresentou expressivos valores de COT e de N total, sugerindo origem antrópica dessas substâncias. As plantas utilizadas para análise de fitorremediação foram coletadas em quadriplicata em 5 pontos da parte canalizada do arroio Dilúvio. Com os valores de concentração de metais nas raízes e parte aérea das plantas foram calculados o Fator de Bioacumulação (FBC) e Fator de Translocação (TF). O TF mostrou que as plantas não apresentavam potencial para fitoextração para todos os metais analisados; no entanto, duas espécies expressaram potencial para rizofiltração por revelar alta concentração de metais em suas raízes. A poluição do arroio Dilúvio é tributário para a contaminação das águas do Lago Guaíba, fonte de captação de água para abastecimento de Porto Alegre. Senso assim, justificasse a busca pela recuperação de sua qualidade ambiental.