SEMINÁRIOS EM CIÊNCIA DO SOLO

 

Quarta-feira, 27/NOV/2019, após o Seminário de Jonathas Carvalhedo Johnson, na sala PG 08

 

Título: “QUALIDADE DE SOLOS HIDROMÓRFICOS SOB CULTIVO DE ARROZ ECOLÓGICO”

 

Marthin Zang

Mestrando em Ciência do Solo, Engenheiro em Agroecologia (IALA, Venezuela)

 

Orientador: Prof. Paulo Cesar do Nascimento

 

Resumo:

Solos hidromórficos ocupam 20% da área do estado do RS, com superfície de 53.000km2 dos quais aproximadamente 18% são cultivados com arroz anualmente. Caracterizam-se por desenvolver-se sob sedimentos em áreas alagadiças e complexos de banhado com diversidade e funcionalidade peculiares. A utilização do sistema pré-germinado possibilitou através da sistematização das áreas e o preparo do solo conjugado ao uso de uma lâmina d’água suprimir o uso de herbicidas lançando, desta forma, bases para uma agricultura de base ecológica nestes ambientes. Com o objetivo de avaliar a qualidade física e química de um conjunto de solos hidromórficos sob cultivo de arroz ecológico ao longo do tempo selecionaram-se três ordens de solos: a)Planossolos; b)Gleissolos e c)Organossolos; com quatro intensidades de uso: a) Zero – Referência; b) 1 a 4 anos – Intensidade Baixa; c) 5 a 8 anos – Intensidade Média e d) 9 a 11 anos – Intensidade Alta, no município de Viamão/RS. Os tratamentos constituem-se da combinação entre o tipo de solo e da intensidade de utilização em um delineamento inteiramente casualizado com amostragem estratificada com 4 repetições. Definiu-se um conjunto mínimo de atributos para avaliar a QS submetendo os dados aos testes de variância – ANOVA e Kuskal Wallis, bem como comparação múltipla das médias através do teste de Tukey e Dunn p<0,05 para dados paramétricos e não paramétricos respectivamente. Ademais, utilizaram-se ferramentas estatísticas de correlação e determinação, bem como análises multivariadas de Cluster e PCA. Os solos estudados apresentam baixa fertilidade natural, principalmente P e K, o que demanda um programa de recuperação dos solos adaptado às condicionantes da agricultura orgânica. Os resultados obtidos permitem inferir que os solos submetidos ao cultivo do arroz de base ecológica sofrem alterações nas suas caraterísticas originais em distintos graus. Com o aumento da intensidade de uso ocorre a redução da fertilidade, principalmente nos organossolos que, de forma geral demonstraram maior suscetibilidade às perdas de C e N; redução da CTC e dos teores de nutrientes; aumento da densidade e diminuição da porosidade. Gleissolos e Planossolos se apresentaram mais resilientes e solos orgânicos mais suscetíveis à degradação química e física.