SEMINÁRIOS EM CIÊNCIA DO SOLO

 

Quarta-feira, 27/NOV/2019, 14h, na sala PG 08

 

Título: Mudanças de uso do solo nos campos naturais afetam os estoques de carbono e a infiltração de água no solo?

 

Jonathas Carvalhedo Johnson

Mestrando em Ciência do Solo, Eng. Agrônomo (UFRGS).

 

Orientador: Prof. Carlos Gustavo Tornquist

 

Resumo:

A vegetação original no Pampa vem sendo alterada nas últimas décadas, principalmente pela expansão da agricultura sobre os campos naturais que vinham sendo usados para pecuária há séculos. As mudanças de uso e cobertura podem afetar os serviços ecossistêmicos essenciais, como a manutenção da biodiversidade, disponibilidade de água e acúmulo de C.  A avalição destes serviços pela amostragem in situ da infiltração e estoques de COS,  permite  inferir sobre a situação ambiental atual deste importante bioma. Nesse sentido, o projeto “Cenários de conversão da vegetação nativa e a sustentabilidade de agroecossistemas no bioma Pampa” onde se insere este estudo tem por objetivo analisar  diferentes  cenários  de  conversão  dos  campos  nativos  do  bioma  Pampa  em cultivos de sequeiro (soja e pastagens de inverno) e de várzea (arroz), e silvicultura, bem como cenários de restauração ou regeneração natural da vegetação nativa campestre, considerando os efeitos sobre a biodiversidade, a eficiência produtiva, os recursos hídricos, as emissões de gases de efeito estufa e a eficiência energética comparativamente a agroecossistemas de produção pecuária em campos naturais.  Foram selecionados sítioss representativos de campos e eucaliptos em Pinheiro Machado, São Gabriel, Jaguarão e Lavras do Sul. As amostras de solo foram coletadas em seis profundidades (0 – 5, 5 – 10, 10 – 15, 15 – 20, 20 – 25 e 25 – 30 cm) em 12 transectos de campo e 12 de eucalipto, pareados conforme protocolo RAPELD: 6 pontos de coleta espaçados de 50 m.  Os estoques de carbono orgânico do solo foram calculados de acordo conforme FAO (2019), consistente com a recente revisão dos Guidelines do IPCC; a infiltração de água foi determinada conforme Bagarello (2004) e classificada de acordo com Reichardt (1978). Os resultados preliminares referentes aos  estoques de COS não identificaram diferenças significativas devido à conversão dos campos para silvicultura de eucalipto. Quanto a infiltração de água no solo, a variabilidade foi elevada mesmo entre pontos no mesmo mesmo transecto, não permitindo detectar diferenças  estatísticas entre campos e eucaliptos. A complementação da amostragem e reanálise dos dados permitirá o refinamento destas análises.