SEMINÁRIOS EM CIÊNCIA DO SOLO

 

Quarta-feira, 18/DEZ/2019, 14h, na sala PG 08

 

Título: Aplicação conjunta de substâncias húmicas e co-inoculação com rizobactérias em leguminosas e gramíneas: um caminho a ser explorado.

 

Juan Guillermo Cubillos Hinojosa

Doutorando em Ciência do Solo, Microbiologista (UPC, Colômbia), MSc  Ciências Agrarias (UNAL, Colômbia)

 

Orientador: Prof. Enilson Luiz Saccol de Sá

 

Resumo:

Nos recentes anos tem crescido o interesse em se buscar a integração de estratégias de cultivo agrícola mais sustentáveis e que permitam manter ou incrementar a produção. A aplicação de substâncias húmicas (SH) e a co-inoculação de rizobactérias diazotróficas são métodos eficientes que facilitam o crescimento e desenvolvimento das plantas. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de promoção de crescimento da aplicação conjunta de SH e rizóbios em co-inoculação com Azospirillum brasilense em plantas leguminosas como feijão-fava e leucena, e em gramíneas como milho e aveia preta. Para isto, foram instalados em casa de vegetação experimentos para o cultivo de cada planta. O desenho experimental foi o de blocos casualizados com cinco repetições. Foram utilizados vasos plásticos desinfestados com álcool e flambados, contendo mistura estéril de vermiculita e areia (2:1) para todos os tipos de plantas. Posteriormente, realizou-se a semeadura nos vasos das sementes previamente desinfestadas seguida da inoculação, e da co-inoculação com A. brasilense, com isolados e estirpes de rizóbios. A riqueza do inoculo foi de 10-8 UFC.mL-1. Em seguida, foram adicionadas as Substâncias Húmicas: ácidos húmicos e fúlvicos comerciais extraídos de leonardita na dose recomendada pelo fabricante de 4L.Ha-1. Em todos os experimentos, foram também conduzidos tratamentos controle sem inoculação com bactérias, sendo um dos controles um tratamento com adição de uma dose equivalente a 100 kg.Ha-1 de Nitrogênio, na forma de NH4NO3, para leucena e feijão-fava, e equivalente a  150 kg.Ha-1 de Nitrogênio para milho e 80 kg.Ha-1 para aveia preta. Nos experimentos com milho e aveia preta também foi conduzido um um controle com adição da metade da dose de Nitrogênio, equivalente a 75 kg.Ha-1 para milho e 40 kg.Ha-1 para aveia preta, devido a que todos tratamentos com as bactérias e SH em conjunto ou isoladamente receberam adição desta dose. Também foram conduzidos estes tratamentos controle: adição da dose completa para feijão-fava e leucena e adição da dose completa e meia para milho e aveia preta, com a adição das SH. As plantas de leucena, milho e aveia preta foram irrigadas com solução nutritiva de Sarruge (1975) e as de feijão-fava com solução de Hoagland & Arnon (1950) modificada por Silveira et al., (1998), isenta de nitrogênio. Após 45 dias de cultivo, os experimentos foram colhidos, sendo determinada a massa seca da parte aérea (MSPA), massa seca da raiz (MSR), o índice de eficiência relativa (IER) e o N acumulado na parte aérea (Nac). Em plantas de feijão-fava foi determinada a massa dos nódulos secos (MNS) e em leucena o número de nódulos (NN). Os resultados mostraram que nas leguminosas, feijão-fava e leucena houve um aumento maior da MSPA, MSR e Nac nos tratamentos que receberam SH e conjuntamente co-inoculados com rizóbios e A. brasilense, seguido pelos tratamentos que foram inoculados somente com rizóbios e SH e os tratamentos que receberam a dose N em conjunto com SH. Sendo superiores ao tratamento controle que recebeu somente a dose de N e ao tratamento que foi somente inoculado com os rizóbios. A aplicação conjunta de SH e rizóbios em co-inoculação com A. brasilense teve um maior aumento da MNS em feijão-fava e o NN em leucena, seguido pelos tratamentos onde foram adicionados somente os rizóbios em conjunto com as SH. Entretanto, no milho e na aveia preta os resultados mostraram que houve um aumento maior da MSPA, MSR e Nac nos tratamentos que receberam a metade da dose de N com adição de SH e  co-inoculados com rizóbios e A. brasilense, seguido pelos tratamentos que receberam a metade da dose de N com adição de SH e inoculados somente com os rizóbios, em comparação com a dose completa de N. Os resultados indicam a existência de interação do uso de SH com a co-inoculação de rizóbios e A. brasilense mostrando um potencial promissor para a produção de cultivos agrícolas sustentaveis.