DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DE

ADRIANO VILMAR GARCIA

          Engenheiro Agrônomo (UFRGS)

 

 

Orientadora: Profa. Amanda Posselt Martins

 

Título: “USO DE LEGUMINOSA HIBERNAL (Trifolium resupinatum) E PLANTIO DIRETO NA PRODUÇÃO DE ARROZ IRRIGADO: RESPOSTAS DE SOLO E PLANTA ÀS MODIFICAÇÕES NO CICLO DO NITROGÊNIO

 

Data: 25/03/2020, às 08:30h, na Sala de Reuniões do Departamento de Solos da Faculdade de Agronomia/UFRGS

 

Banca Examinadora:

-Prof. Tales Tiecher – PPG Ciência do Solo/UFRGS;

-Dr. Ibanor Anghinoni – IRGA; e

-Prof. Filipe Selau Carlos – UFPel (através de videoconferência/Skype).

 

 

Resumo:

O cultivo de leguminosas hibernais, além de fixar nitrogênio (N), o cicla para a cultura sucessora de verão, aumentando a disponibilidade deste nutriente no solo e podendo afetar a produtividade das plantas. Com o objetivo de avaliar este efeito em um Planossolo Háplico, tipico da região de terras baixas do Rio Grande do Sul, com cultivo de arroz irrigado no verão sob diferentes doses de adubação nitrogenada, foi conduzido o presente trabalho. Este, realizou-se Em Capivari do Sul, no primeiro ano de um ensaio a campo. Os sistemas avaliados foram o de cultivo com revolvimento do solo para preparo da área pré-semeadura da lavoura de arroz e o de cultivo com plantio direto (PD) do arroz, após dessecação da leguminosa hibernal, trevo persa (Trifolium resupinatum). Ambos sistemas foram testados com 0, 50, 100, 150 e 200 kg N/ha para o arroz, na forma de ureia. Avaliou-se a disponibilidade de N (destilação de arraste semi-micro Kjeldahl), pH e condutividade elétrica (CE) na solução do solo em diferentes profundidades e a produção de massa seca da parte aérea, a absorção de nutrientes e o rendimento de arroz irrigado. Os resultados demonstraram que há maior disponibilidade de N na solução do solo (3,35 mg N/L), durante o ciclo do arroz irrigado, quando este é cultivado em área de PD com cultivo de trevo persa no inverno. Da mesma maneira, nessas áreas ocorreu uma diminuição do pH (0,3 unidades) e aumento da CE (0,15 dS/m) da solução do solo. Em relação a resultados de planta, o cultivo do trevo persa no inverno, associado ao PD, aumentou a produção de massa seca da parte aérea em 1,7 Mg/ha, e de grãos em 0,5 Mg/ha, do arroz irrigado em sucessão. Desta maneira, o plantio direto e o trevo persa demostram ser uma alternativa viável de manejo conservacionista para solos de terras baixas, aumentando a disponibilidade de N no solo para o arroz irrigado, que resulta em incremento econômico via produção de grãos e possível redução nos custos da lavoura arrozeira.