Avaliação no ensino de artes visuais: desdobramentos e implicações para a docência, de Vanessa Priscila da Costa


Esta pesquisa tem como temática a avaliação no ensino de artes visuais na Educação Básica, problematizada a partir dos seus desdobramentos e implicações possíveis. Ao investigar as relações e tensionamentos que estão implicados nos discursos sobre avaliação em ensino de arte, o estudo pretende colocar o conceito de avaliação em movimento. Para isso, parte-se da análise de publicações sobre ensino de arte, em sua grande maioria brasileiras, excertos de legislações sobre educação e um conjunto de imagens de trabalhos artísticos realizados durante o percurso como aluna da educação básica a fim de enfatizar as presenças e ausências encontradas na discussão da área e contribuir ao estudo da temática. No decorrer da pesquisa, foi realizada uma busca referente ao termo “avaliação” nos escritos sobre ensino de artes visuais publicados no Brasil desde o final dos anos 70, a partir de autores que considerei como fundamentais na formação inicial do professor de Artes Visuais, tais como BARBOSA (1975, 1984, 2006, 2010), MARTINS; PICOSQUE; GUERRA (2009), FUSARI e FERRAZ (2010), HERNÁNDEZ (2000) e IAVELBERG; ARSLAN (2011). Para pensar e tensionar o conceito de avaliação, também utilizo FISCHER (2012) e VEYNE (1982), autores que se debruçam sobre a obra de Foucault, para questionar o quanto podemos estranhar práticas já tidas como naturalizadas, questões estas discutidas e problematizadas na Linha de Pesquisa Ética, Alteridade e Linguagem na Educação (PPGEdu – UFRGS), em especial as desenvolvidas por LOPONTE (2011). A partir desse trabalho, pensa-se nos desdobramentos dessa discussão sobre avaliação em ensino de arte e as implicações possíveis para as práticas docentes em arte. Em especial, o estudo nos convoca a pensar em outros modos de encarar a avaliação que se faz no ensino de arte, problematizando a maneira como o discurso se movimenta nas publicações, nas legislações e nas imagens, levando a pensar que tal temática é tão complexa a ponto de poucos quererem tocá-la.

Leia a dissertação completa aqui.

COSTA, Vanessa Priscila da. Avaliação no ensino de artes visuais: desdobramentos e implicações para a docência, 2015.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>