Negros em SC

Para produções até 2007, recomenda-se ver também XAVIER, Regina Célia Lima (org.). História da Escravidão e da Liberdade no Brasil Meridional: guia bibliográfico. Porto Alegre: UFRGS, 2007.

ALENCAR, Alexandra Eliza Vieira. Dançando novas africanidades: diálogos com praticantes do maracatu e da dança afro em Florianópolis-SC. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Florianópolis, 2009.  [práticas culturais negras]

ALVES, Jucelia Maria; LIMA, Rose Mery de; ALBUQUERQUE, Cleidi. Cacumbi: um aspecto da cultura negra em Santa Catarina. Florianópolis: Ed. da UFSC: Secretaria da Cultura e do Esporte, 1990. (Caderno de cultura popular; 3)

AMARAL, Tamelusa Ceccato do. As “camélias” de Desterro: a campanha abolicionista e a prática de alforriar cativos (1870-1888). Itajaí: Casa Aberta: UDESC, 2008.

BILÉSSIMO, Angelo. Entre a praça e o porto: grandes fortunas nos inventários post mortem em Desterro (1860-1880). Itajaí: Casa Aberta: UDESC, 2008.

BRIGNOL, Juliani Moreira. Bordados do Destino: saberes das mulheres afro-descendentes na passagem do século XIX ao XX na Capital de Santa Catarina. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina.  Centro de Ciências Humanas. Florianópolis, 2003.

CAMARGO, Elzeni Fernandes. Heranças de Africanidade: religiosidade negra na grande Florianópolis. 2002. 131 f. Dissertação (mestrado)- Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 2002.

CARDOSO, Fernando Henrique. Negros em Florianópolis: relações sociais e econômicas. Florianópolis: Insular, 2000.

CARDOSO, Paulino de Jesus Francisco. Negros em Desterro: experiências de populações de origem africana em Florianópolis na segunda metade do século XIX. Itajaí: Casa Aberta, 2008. (África Brasil)

CARVALHO, Andréa Aparecida de Moraes Cândido. Negros de Lages: memória e experiência de afrodescendentes no planalto serrano. Trabalho de conclusão de Curso (graduação) – Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 2001.

CARVALHO, Ely Bergo. A diáspora negra: a vinda de africanos e seus descendentes para Santa Catarina. In: Revista história catarina, v.5, n.27, (jan. 2011), p.34-39. Lages, 2011.

DAUWE, Fabiano. Estratégias institucionais de liberdade: um estudo acerca do Fundo de Emancipação dos escravos em Nossa Senhora do Desterro 1872-1888. Ed. Itajaí: Casa Aberta, 2008.  (África Brasil, 8)

FARIAS, Joice. O negro inexistente: um estudo sobre a escravidão africana na historiografia catarinense (1980-1999). Trabalho de conclusão de Curso (graduação) – Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 1999.

FERNANDES, Heber Cristiam. Festa de preto no estado europeu Quicumbi, Cacumbi, Catumbi, Ticumbi: um olhar sobre manifestações afro-brasileiras em Santa Catarina. Trabalho de conclusão de curso (graduação) – Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 2004.

FERREIRA, Sergio Luiz. Nós não somos de origem: populares de ascendência açoriana e africana numa freguesia do sul do Brasil (1780-1960). Tese (Doutorado)- Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em História. Florianópolis, 2006.

FREITAS, Patricia de. Margem da palavra, silêncio do número: o negro na historiografia de Santa Catarina.  Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciencias Humanas. Florianópolis, 1997.

FREITAS, Silvia Correia de. Tecendo laços: as práticas comunitárias dos escravos em Antonina (1840-1870). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina. 2003.

GARCIA, Fábio. Intelectuais negros no pós abolição: associativismo negro em Florianópolis (1915 – 1925). XXVI SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA. Anais Eletrônicos. São Paulo. 2011.

GARCIA, Fábio. Negras pretensões. A presença de intelectuais, músicos e poetas negros nos jornais de Florianópolis e Tijucas no início do século XX. Florianópolis: Ed. Umbutu, 2007.

GEREMIAS, Patricia Ramos. Ser ingênuo em Desterro/SC: a lei de 1871, o vínculo tutelar e a luta pela manutenção dos laços familiares das populações de origem africana (1871-1889). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense. 2004.

GODOY, Clayton Peron Franco de; RABELO, Marcos Monteiro. Comunidades negras de Santa Catarina: narrativas da terra, ancestralidade e ruralidade. Florianópolis: IPHAN, 2008.

GONZÁLEZ DE CASTELLS, Alícia Norma. Ecos e imagens do patrimônio imaterial: inventário nacional de referências culturais do Sertão de Valongo. Florianópolis: IPHAN, 2008.

HARTUNG, Miriam Furtado; LEITE, Ilka Boaventura. Nascidos na fortuna – o grupo do Fortunato: identidade e relações interétnicas entre descendentes de africanos e europeus no litoral Catarinense. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciencias Humanas. Florianópolis, 1992.

HOFFMANN, Priscila Catarina. Negros de São Pedro: experiências das populações de origem africana no pós-abolição em São Pedro de Alcântara. Monografia (graduação) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Ciências Humanas e da Educação, Curso de História, Florianópolis, 2009.

LEITE, Ilka Boaventura. Negros no sul do Brasil: invisibilidade e territorialidade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 1996.

MALAVOTA, Cláudia Mortari. Os africanos de uma vila portuária do sul do Brasil: criando vínculos parentais e reinventando identidades. Desterro, 1788/1850. Tese (Doutorado) – PUCRS, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas,  2007.

MAMIGONIAN, Beatriz G. (Org.); VIDAL, J. Z. (Org.). História diversa: africanos e afrodescendentes na Ilha de Santa Catarina. Florianópolis: Editora da UFSC, 2013.

MANOEL, Iolanda R. Lima et.al. Caderno História das populações afro-brasileiras em Criciúma. Itajaí: Casa Aberta, 2008. (África Brasil)

MARCON, Frank Nilton. Visibilidade e resistência negra em Lages. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós Graduação Em História) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos. 1999.

MARIA, Maria das Graças. Imagens Invisíveis de Áfricas Presentes: Experiências Negras no Cotidiano da Cidade de Florianópolis (1930-1940). Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História. Florianópolis, 1997.

MARIA, Maria das Graças. Memória Subterrânea: Construção das Representações de Identidade do Negro em Florianópolis. Esboços- Revista do Programa de Pós-Graduação em História da UFSC, v.2,n.2. Florianópolis, 1995.

MOMBELLI, Raquel. Visagens e profecias: ecos da territorialidade quilombola. Tese (Doutorado em Programa de Pos Graduaçãoo em Antropologia) – Universidade Federal de Santa Catarina. 2009.

NUNES, Karla Leonora Dahse. Antonieta de Barros: uma história. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em História. Florianópolis, SC, 2001. [personagem feminina; mulheres negras na política de SC]

ORSI, Bernardete; CARDOSO. Clube 13 de Maio: um estudo sobre um território negro na área urbana de Tijucas. Monografia (especialização) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Florianópolis, 1999.

PEDRO, Verônica Tchivela; RIAL, Carmen Silvia. Identidades traduzidas num mundo globalizado: os estudantes africanos em Florianópolis. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Florianópolis, 2000.

PEREIRA, Lucésia. Florianópolis, década de trinta: ruas, rimas e desencantos na poesia dissonante de Trajano Margarida.  Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Florianópolis, 2001.

PIAZZA, Walter F. A escravidão negra numa província periférica. Florianópolis: Garapuvu, 1999.

PIAZZA, Walter F. O escravo numa economia minifundiária. Florianópolis; São Paulo: UDESC, 1975.

REIS, Aloisio Luiz dos. Brinca Quem Pode: Territorialidade e (in)Visibilidade Negra em Laguna SC. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina. 1996.

RIBEIRO, Ecléa Mara. Negras memórias de mulheres negras: um estudo sobre as experiências de mulheres afrodescendentes em Florianópolis na segunda metade do século XX. Monografia (especialização) – Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 1999.

ROSA, André Luiz. Operários da Bola. Um estudo sobre a relação dos trabalhadores com o futebol na cidade de Itajaí (SC) entre as décadas de 1920 a 1950. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-graduação em História. 2011.

ROSA, Júlio César da. Sociabilidades e territorialidade: a construção de sociedades de afrodescendentes no sul de Santa Catarina (1903-1950). Dissertação de Mestrado em História. Universidade do Estado de Santa Catarina. 2011

SANTOS, Carina Santiago dos. Um lugar chamado figueira: experiências de africanos e afrodescendentes nas duas últimas décadas do século XIX. Monografia (Graduação). Universidade do Estado de Santa Catarina. Curso de História. Florianópolis, 2005.

SEBRÃO, Graciane Daniela. Presença/ausência de africanos e afrodescendentes nos processos de escolarização em Desterro – Santa Catarina (1870-1888).  Dissertação (mestrado) – Universidade do Estado de Santa Catarina. Mestrado em Educação, Florianópolis, 2010.

SILVA, Ana Cristina Anderson Da. Alemães, brasileiros e pretos: relações interétnicas na região do alto Biguaçu (1950-1960). 2000. 34 f. Monografia (especialização) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Florianópolis. 2000.

SILVA, Janaina Amorim da. Tramas cotidianas dos afrodescendentes em São José no pós-abolição. Dissertação de Mestrado em História. Universidade do Estado de Santa Catarina. 2011.

SILVA, José Bento Rosa da. A Itajahy do século XIX: história, poder e cotidiano. Itajaí: Casa Aberta: UDESC, 2008. (Coleção África Brasil; 2).

SILVA, Marina Melhado Gomes da. Em preto e branco: estudo sobre representações da propaganda por afro-descendentes em Florianópolis. Dissertação (Mestrado)- Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-graduação em Antropologia Social. Florianópolis, 2005.

SIMÃO, Maristela dos Santos. “Lá vem o dia a dia, lá vem a Virge Maria. Agora e na hora de nossa morte”: a irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos, em Desterro (1860-1880). Itajaí: Casa Aberta: UDESC, 2008.

SPRICIGO, Antônio César. Morro da África: identidade étnica e cotidiano de uma comunidade negra do sul de Santa Catarina no limiar do século XX. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina. 2003.

STAKONSKI, Michelle Maria. Da sacristia ao consistório: tensões da romanização no caso da irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos – Desterro/Florianópolis (1860-1880). Itajaí: Casa Aberta; UDESC, 2008. (Coleção África Brasil; 5)

TEIXEIRA, Vera Iten. De negros a adventistas, em busca da salvação: estudo de um grupo rural de Santa Catarina. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Humanas. Florianópolis, 1990.

TRAMONTE, Cristiana. Com a Bandeira de Oxalá!: Trajetória, práticas e concepções das religiões afrobrasileiras na Grande Florianópolis. Itajaí: Univali, 2001.

WAGNER, Ana Paula. Diante da liberdade: vida de libertos em Nossa Senhora do Desterro. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Paraná. 2002.