Vozes Femininas na Filosofia

Uma publicação da Editora da UFRGS

Este livro imperdível é resultado do encontro “Vozes femininas na Filosofia”, ocorrido em junho de 2017. O evento foi promovido pelo Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e tanto sua realização, quanto a publicação do livro, tiveram como principal motivação a insatisfação com a baixa representatividade das mulheres na filosofia.

As ausências femininas em diferentes áreas são naturais? 
Do que se alimenta a baixa representatividade?  

Mulheres na filosofia

Segundo as autoras, a baixa representatividade das mulheres na filosofia ocorre tanto como objeto de pesquisa, quanto como participantes do cenário acadêmico brasileiro. Obviamente a menor proporção de mulheres em relação a homens não é característica peculiar à filosofia. 

Atentas e inconformadas com a situação da área, as autoras apresentam o livro no intuito de contribuir para a modificação desta realidade sistematicamente construída, chamando a atenção para a excelente qualidade do trabalho de inúmeras filósofas, de professoras e estudantes de filosofia. 

Christine de Pizan e tantas mais…

Cerca de dez filósofas são abordadas nos oito capítulos da obra. O capítulo que abre o livro, “Christine de Pizan contra os filósofos”, foi escrito pela doutora em filosofia medieval Ana Rieger Schmidt e analisa a obra da poetisa e filósofa Christine de Pizan (1364-1430), de origem italiana que viveu na França do séc. XV, e sua contundente crítica à misoginia de seu tempo.

Segundo Schmidt, “É perceptível, de modo geral, uma consistência no objetivo da produção literária de Pizan: a crítica aos textos difamatórios do sexo feminino e a defesa das mulheres.” (2018, p. 15). Algo aqui te soa atual e familiar? Vozes femininas na filosofia está disponível no Lume, na coleção da Editora da UFRGS!

SCHMIDT, Ana Rieger; SECCO, Gisele Dalva; ZANUZZI, Inara (org.). Vozes femininas na Filosofia. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018. 218 p. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/217349. Acesso em: 10 out. 2021.