sobre nós 

 

Banco de Imagens e Efeitos Visuais
Laboratório de Antropologia Social
Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social
Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

 

Em termos concretos, este método, no plano dos estudos de  Antropologia visual e sonora do BIEV  e de suas preocupações com a pesquisa com memória coletiva, itinerários urbanos e formas de sociabilidade no mundo contemporâneo nos possibilita operar com um conjunto amplo de imagens (sonoras, visuais, escritas, etc.) reunidas num mesmo ambiente, através das novas tecnologias digitais e eletrônicas, na modalidade de coleções que, consteladas em núcleos organizadores de sentido, nos permitem inferir um conhecimento acerca do fenômeno da duração que ali se presenta.

No caso do BIEV,  trabalhando há mais de 10 anos , com as tecnologias eletrônicas e digitais na pesquisa com a  etnografia da duração , tal convergência de imagens provenientes de fundos de origens diferentes (antigas e recentes, fabricadas ou não pelos antropólogos em suas pesquisas ao longo deste período) no interior de um mesmo campo de pesquisa antropológica sobre a memória coletiva e o patrimônio etnológico no mundo contemporâneo, podem nos indicar, desde o ponto onde eles convergem, a direção mais próxima para a interpretação da dialética temporal que orientam tais fenômenos, ainda que de forma indireta, algo que seria de todo impossível se enfocássemos isoladamente as imagens ali reunidas. Assim, para a  produção e geração de coleções etnográficas sobre o patrimônio etnológico de uma comunidade urbana  qualquer, quanto mais constelações de imagens apresentarem desde um mesmo ponto de convergência, tanto mais direções para o antropólogo construir conhecimento sobre uma determinada ordem de fenômeno.

Por outro lado, pesquisar o fenômeno da memória coletiva a partir da produção e geração de coleções etnográficas de conjuntos documentais de imagens, através do encadeamento de símbolos e das motivações simbólicas que as orientam, torna evidente que este ato de pesquisa não pode ser uma obra sistemática de um pensador único uma vez que a pesquisa com a etnografia da duração se revela, ela própria, como  integrando o patrimônio da humanidade . A produção e geração de coleções, a partir do método de convergência aqui descrito, comporta sempre adições, correções, subtrações e retoques no estudo das suas constelações, ações estas que são o fruto da colaboração de todos aqueles que produziram tais documentos, no passado e/ou no presente. A descoberta do  isomorfismo das imagens  responsáveis por sua polarização em categorias se dá a partir das correlações estabelecidas entre eles pela própria participação da imaginação criadora do antropólogo no sentido de suas formas seguindo o efeito de sua  convergência em torno de um núcleo de significados, tomados em constelações, como um todo. 

 

 telefone 

 

 0**(51) 3308 7158

 

   onde estamos?

 

Av. Bento Gonçalves, 9500 – Agronomia, Porto Alegre – RS, 91509-900, Brasil