Extensão

As ações de extensão estabelecem relações sociais e culturais com a sociedade, compondo uma parte da grande tarefa educativa confiada à Universidade, a partir do processo formativo integral dos estudantes. Esse diálogo com a comunidade permite dar respostas permanentes às suas demandas e anseios, reiterando o compromisso social da instituição. 

Órgão: CECLIMAR 

Coordenador: Prof. Dr. Ignacio Benites Moreno 

Telefone: 3308 1267

E-mail: :

Página no facebookhttps://www.facebook.com/Projeto-Botos-da-Barra-do-Rio-Tramanda%C3%AD-698928310197758/ (Projeto Botos da Barra do Rio Tramandaí)

IMG 0458

O Projeto Botos da Barra é realizado pelo Centro de Estudos Costeiros Limnológicos e Marinhos do Instituto de Biociências da UFRGS (CECLIMAR/IB/UFRGS), patrocinado pela Petrobras Transportes S.A. – TRANSPETRO e tem como parceiros o Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Sul, Campus Litoral Norte, Prefeituras dos municípios de Imbé e Tramandaí, Marinha do Brasil, Emater, entre outras instituições. 

O Projeto tem por objetivos principais o fortalecimento da pesca cooperativa, divulgação de conhecimento científico, monitoramento da população de botos da barra e educação ambiental.

A pesca cooperativa entre boto e pescadores artesanais de tarrafa ocorre da seguinte forma: Os pescadores artesanais de tarrafa, ao perceberem a presença dos botos distribuem-se na margem do canal, por sua vez os botos, com sinais característicos feitos com a cabeça, indicam aos pescadores o momento apropriado para o arremesso da tarrafa, facilitando a pesca e a captura do peixe pelos botos, assim os dois se beneficiam. Este ritual é realizado há muitos anos e só acontece desta forma em Tramandaí e Laguna (SC). Além disso, os pescadores conhecem cada boto e dão nome a eles, esse reconhecimento se dá através das marcas/cicatrizes e manchas na nadadeira dorsal e corpo dos botos, como se fosse uma impressão digital. Alguns botos são facilmente reconhecidos por quem vai visitar a barra, como a Geraldona, que é uma fêmea de 30 anos que está com filhote e o Chiquinho, que também é filho da  Geraldona, mas já tem por volta de 12 anos.

A realização das iniciativas do projeto fornecerá subsídios importantes para o melhor gerenciamento da barra do rio Tramandaí, dessa forma assegurando a continuidade da pesca cooperativa entre os botos e os pescadores tradicionais. Essa interação possui importância econômica e social para a comunidade, e ao assegurar esse fenômeno, o sustento de dezenas de famílias será garantido além de preservar um importante ecossistema e uma importante interação socioambiental que somente ocorre no sul do Brasil e em nenhum outro local do mundo.