Caso coelhos-cosméticos


coelhos/Goldim

Henry Spira, em 1980, denunciou a Indústria de Cosméticos Revlon pelo uso de coelhos para fins de testes de toxicidade de cosméticos ( Draize Eye Test). Após ter tentado convencer a empresa em contribuir para a realização de pesquisas sobre métodos alternativos de investigação de toxicidade, mandou publicar, em 15/4/80, um anúncio de página inteira, no jornal New York Times, com a seguinte frase: "How many rabbits does Revlon blind for beauty's sake ?" A partir de 1986 as indústrias cosméticas progressivamente abandonaram os testes utilizando animais vivos. Em 1989, tanto a Avon quanto a Revlon deixaram de usar animais para fins de pesquisas de seus produtos.

Várias empresas de cosméticos utilizam um selo para identificar seus produtos que não utilizam testes animais na sua produção, posicionando-se, inclusive, contra os testes em animais.

Singer P. Animal liberation. 2ed. New York: New York Review, 1990:58-59.

Pesquisa em Saúde e Direito dos Animais (aula)
Página de Abertura - Bioética
©Goldim/97