Doação voluntária de órgãos


Doação voluntária de órgãos /Goldim

José Roberto Goldim


É a estratégia que permite ao indivíduo manifestar espontaneamente a sua opção em aceitar doar os seus órgãos. Nesta situação, a equipe de saúde só pode utilizar órgãos de pacientes que manifestaram expressamente sua vontade de doar órgãos. Em muitos casos, onde não houve manifestação individual expressa, a família é chamada a consentir com tal procedimento. Esta abordagem é a utilizada em diversos países, entre os quais os Estados Unidos. Durante muitos anos foi utilizada no Brasil, tendo sido substituída pelo Consentimento Presumido em 1997.

 


Ética Aplicada aos Transplantes de Órgãos
Página de Abertura -Bioética
Text incluído em 18/08/1997
(c)Goldim/1997