Ética e Alimentos Trangênicos
notas para reflexão

José Roberto Goldim 

O Governo Federal brasileiro liberou, ainda que de forma restrita, o plantio de soja transgênica no país.  Esta questão merece uma reflexão aprofundada de suas alternativas, justificativas e conseqüências. As notas a seguir visam justamente propiciar algumas informações a este respeito.

Ética, Moral e Sociedade

Dois pensamentos para refletir sobre esta interação

Uma sociedade é caracterizada por uma visão moral compartilhada, sem ela não seria uma sociedade. (Warnock M. A Question of life. Oxford: Blackwell, 1985:XI.)

Os conceitos éticos estão vinculados aos costumes da sociedade, aos modos, às tradições e às instituições, todos eles estruturam e formam as maneiras pelas qual um membro desta sociedade lida com o mundo. (Elliott C. Where ethics comes from and what do about it. Hastings Center Report 1992;22(4):28-35.)
 

Alguns Dados Sobre Pesquisa e Uso de Plantas Transgênicas
 

 
Pesquisas com Alimentos Transgênicos (1997)
EUA
 
Europa
Notificação à EPA
 
Longo processo de liberação
3000 experimentos
 
882 experimentos
   
França 333
Itália 159
Reino Unido 148
Bélgica 91
Países Baixos 90
Alemanha 61
 
Área Agrícola com Plantas Transgênicas (1998)
35 milhões de hectares plantados
EUA 88%
Ásia 6%
América Latina 6%
Europa 0,003% (projeção para 2000 1%)

Alimentos Transgênicos: Ciência ou Tecnologia

                        Alimentos Transgênicos

 
EUA 
versus
Europa 
Tecnologia
 visão
Ciência
Ousadia
Retorno Econômico
 perspectiva
Cautela
Conhecimento Perigoso
Tempo X Investimento
 relação
Tempo X Saber
 

Como a População Européia Opina sobre a Questão dos Alimentos Transgênicos

                  Europa (Eurobarômetro – 1996)

(Zechendorf B. Agricultural biotechnology: why do europeans have difficulty accepting it ? AgBioForum 1998;1(1).)
 
 
Conhecimento e Relevância da Biotecnologia
 
Alto
 
Baixo
Países Baixos
Dinamarca
Reino Unido
Finlândia
Suécia
França
Alemanha
Portugal
Espanha
Áustria
Itália
 
 
 
Utilização Agrícola de Alimentos Transgênicos
 
Sim
 
Não
Países Baixos
Finlândia
Itália 
Portugal 
Espanha
 
 
Suécia
Dinamarca
Áustria
Reino Unido 
Alemanha
França
 
 
Reconhece Benefícios da Biotecnologia
 
Sim
 
Não
Países Baixos
Finlândia
Reino Unido
Portugal
Espanha
Itália
 
Dinamarca
Suécia
Áustria
França
Alemanha
 
 
Reconhece Riscos da Biotecnologia
 
Sim
 
Não
Países Baixos
Dinamarca
Suécia
Reino Unido
França
 
Finlândia
Itália
Espanha
Áustria 
Alemanha
 
Aceitação Moral dos Alimentos Transgênicos
Sim
 
Não
Países Baixos
Finlândia
Itália 
Portugal
Espanha
 
Suécia 
Dinamarca Áustria
Reino Unido 
Alemanha
França
 

Características Transculturais  dos Países Europeus
 

Características Transculturais
Geert Hofstede (Países Baixos)
1980-1997
160. 000 pessoas em mais de 50 países

 

Variáveis Consideradas
Distância de Poder
Individual – Coletivo
Masculino – Feminino
Evitamento de Incerteza
 
Características Transculturais dos Países Europeus
 
 
Distância
de Poder
Individualismo
Masculinidade
Evitamento de Incerteza
Alemanha
35
67
66
65
Áustria
11
55
79
70
Dinamarca
18
74
16
23
Espanha
57
51
42
86
Finlândia
33
63
26
59
França
68
71
43
86
Itália
50
76
70
75
Países Baixos
38
80
14
53
Portugal
63
27
31
104
Reino Unido
35
89
66
35
Suécia
31
71
5
29
  Hofstede G. Cultures and Organizations: software of the mind. (intercultural cooperation and its importance for survival). New York: McGraw Hill, 1997:23-141.  

Alimentos Transgênicos: Opiniões e Aspectos Transculturais
 

 

Aspectos Transculturais e Opiniões sobre Alimentos Transgênicos
 
 
 

 

Distância de Poder
Individualismo
Masculinidade
Evitamento de Incerteza
Conheci-mento
Benefício
Risco
Moral
Utilização
Áustria
11
55
79
70
Baixo
Não
Não
Não
Não
Alemanha
35
67
66
65
Médio
Não
Não
Não
Não
Dinamarca
18
74
16
23
Alto
Não
Sim
Não
Não
Suécia
31
71
5
29
Alto
Não
Sim
Não
Não
França
68
71
43
86
Médio
Não
Sim
Não
Não
Reino Unido
35
89
66
35
Alto
Sim
Sim
Não
Não
EUA
40
91
62
46
         
Países Baixos
38
80
14
53
Alto
Sim
Sim
Sim
Sim
Finlândia
33
63
26
59
Alto
Sim
Não
Sim
Sim
Itália
50
76
70
75
Baixo
Sim
Não
Sim
Sim
Espanha
57
51
42
86
Baixo
Sim
Não
Sim
Sim
Portugal
63
27
31
104
Baixo
Sim
Não
Sim
Sim
Brasil
69
38
49
76
         
  Dados transculturais: Hofstede G. Cultures and Organizations: software of the mind. (intercultural cooperation and its importance for survival). New York: McGraw Hill, 1997:23-141.

Dados transgênicos: Zechendorf B. Agricultural biotechnology: why do europeans have difficulty accepting it ? AgBioForum 1998;1(1).

Considerações Finais

Os países que aprovam a utilização são os mesmos que aceitam moralmente os alimentos transgênicos. Os que negam a sua utilização são os que reprovam moralmente. A questão do conhecimento e relevância é secundária. O reconhecimento de riscos e especialmente de benefícios é um fator importante na tomada de opinião a este respeito.

Algumas questões ficam pendentes:

 Palestra apresentada no I Congresso Latino-Americano de Nutrição Humana. Gramado 26/06/1999.


Ver anúncio da Monsanto sobre a cobrança de royalties (Correio do Povo 16/09/2003, p.5)


Material de Apoio - Ética e Genética
Pagina de Abertura - Bioética

Texto incluído em 28/06/1999 e atualizado em 26/09/2003
(C)Goldim/1999