Os cantos de angústia de Adalgisa Nery

“Estou pensando nos que possuem a paz de não pensar Na tranquilidade dos que esqueceram a memória. ” Adalgisa Nery nasceu em 29 de outubro de 1905, no Rio de Janeiro. Foi poetisa, romancista, contista e jornalista. Descrita como sensível e imaginativa desde a infância, a sensibilidade poética da autora é associada a alguns episódios […]

Coleção de E-books no Sabi+

Já experimentou a novidade para acesso aos materiais bibliográficos da UFRGS? O Sabi+ Busca Integrada é uma nova forma de acesso aos acervos físicos e eletrônicos das Bibliotecas da UFRGS e coleções de e-books assinadas pela Universidade. Abaixo, você pode conferir algumas das coleções de e-books disponíveis e as áreas de conhecimento a que correspondem: Atheneu: […]

Dicionário Mulheres do Brasil: de 1500 até a atualidade

Você conhece a história da Germana? Em 02 de outubro de 2000 foi lançado o Dicionário Mulheres do Brasil: de 1500 até a atualidade. Biográfico, ilustrado e com índice cronológico, o Dicionário tem cerca de 900 verbetes e é referência essencial para estudo de personagens femininos da história do Brasil, de certa forma reparando o […]

Dia Internacional da Música

Boas vindas a outubro com trilha sonora! O Dia Mundial da Música foi instituído em 1975 por uma iniciativa da UNESCO através da International Music Council, organização não-governamental  fundada em 1949, que tem o objetivo de promover a paz e a amizade entre os povos com o auxílio da música. Em comemoração a este dia, a Biblioteca […]

19 de Agosto – Dia Internacional da Fotografia

“Colecionar fotos é colecionar o mundo. Filmes e programas de televisão iluminam paredes, reluzem e se apagam; mas, com fotos, a imagem é também um objeto, leve, de produção barata, fácil de transportar, de acumular, de armazenar.” Susan Sontag, em Sobre Fotografia. Uma pequena homenagem da Biblioteca Central à fotografia e suas diversas facetas como […]

Mário Quintana, o “poeta das coisas simples”

“Os livros de poemas devem ter margens largas e muitas páginas em branco e suficientes claros nas páginas impressas, para que as crianças possam enchê-los de desenhos – gatos, homens, aviões, casas, chaminés, árvores, luas, pontes, automóveis, cachorros, cavalos, bois, tranças, estrelas – que passarão também a fazer parte dos poemas…”(Da Paginação, Sapato Florido, p. […]