Cursos gratuitos: Formação Modular sobre Ciência Aberta

Compartilhe

O termo “ciência aberta” faz alusão a um modelo de prática científica que, em consonância com o desenvolvimento da cultura digital, visa mais do que a disponibilização em acesso aberto de dados e publicações; envolve também a abertura do próprio processo científico como um todo, acelerando a disseminação, a democratização e o avanço do conhecimento e de seu uso pela sociedade.

As iniciativas em torno da ciência aberta abarcam um ecossistema envolvendo diversos pilares, tais como: publicações abertas (artigos, livros); dados abertos (dados científicos ou de valor acadêmico); ferramentas abertas (software, hardware, designs); pesquisa aberta (cadernos abertos, colaboração massiva, workflows); ciência cidadã (pesquisas participativas, blogs científicos, hackerspaces, laboratórios de inovação cidadã); avaliação aberta (peer-review, badges, altmetrics); e educação aberta (metodologias ativas, recursos educacionais abertos).

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) está atenta à tendência e vem buscando adotar iniciativas que provoquem reflexões relacionadas à temática. Uma das ações da CAPES foi o 1º Encontro de Ciência Aberta, realizado em 2018, e que terá sua segunda edição ainda este ano.

A CAPES também tem participado do Compromisso 3 do 4º Plano de Ação Nacional, desenvolvido no âmbito da Parceria para Governo Aberto (Open Government Partnership), que visa “estabelecer mecanismos de governança de dados científicos para o avanço da ciência aberta no Brasil”. Junto com outras instituições, como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), colaboram com estratégias para promoção de ações de sensibilização, participação e capacitação em ciência aberta.

Nesta perspectiva, a Fiocruz lançou em dezembro de 2018 a Formação Modular Sobre Ciência Aberta, oferecida por meio do Campus Virtual Fiocruz. O público-alvo dos cursos é composto por pesquisadores, docentes, alunos de pós-graduação e demais usuários interessados no tema. A iniciativa apresenta à comunidade acadêmica o movimento da ciência aberta, suas diversas práticas, expectativas e controvérsias.

A formação é gratuita e está estruturada em quatro séries oferecidas na modalidade à distância. Com carga de 10 horas, o primeiro curso busca responder ao questionamento “O que é ciência aberta?”. O conteúdo do curso 1 (série 1) foi elaborado por especialistas da Universidade do Minho (Portugal), responsáveis pelo desenvolvimento do Programa Foster (Fostering the practical implementation of Open Science in Horizon 2020 and beyond) da União Europeia, e da Fiocruz. O curso apresenta o conceito da ciência aberta e suas principais práticas.

curso 2 da série 1, também já disponível para a comunidade acadêmica, tem como foco o panorama histórico da ciência aberta, apresentando o contexto internacional do movimento, sua relação com iniciativas do Governo Aberto e a perspectiva do uso de dados administrativos para a produção de novos conhecimentos e políticas públicas em saúde.

Nessa etapa, os participantes têm a oportunidade de contrastar as principais expectativas depositadas na ciência aberta por diversos atores e antigas problemáticas (como as assimetrias do fazer científico entre países), refletindo criticamente sobre as oportunidades e riscos para a sociedade brasileira.

Os usuários já têm à disposição também o curso 1 da série 2, sobre marcos legais. O módulo apresenta o panorama legal nacional, com ênfase em direito autoral e proteção de dados pessoais. O conteúdo foi desenvolvido pelos autores da publicação “Marcos legais nacionais em face da abertura de dados para pesquisa em saúde: dados pessoais, sensíveis ou sigilosos e propriedade intelectual”.

Até o final de 2019, a Fiocruz oferecerá os outros conteúdos da formação. As capacitações são independentes, não sendo obrigatório fazer o estudo na ordem sugerida. A cada trecho realizado, os alunos passam por uma avaliação on-line e recebem certificados de conclusão de acordo com critérios de aprovação. Os microcursos são resultados de uma parceria entre a Coordenação de Informação e Comunicação (VPEIC), a Escola Corporativa Fiocruz e a Universidade do Minho (Portugal).

Para mais informações e inscrições, clique aqui.

Com informações da Fiocruz

Fonte: Boletim Eletrônico do Portal de Periódicos da CAPES

5 de julho de 2019

Publicado por Zuleika Branco