Dia Internacional da Música

Compartilhe

Boas vindas a outubro com trilha sonora!

O Dia Mundial da Música foi instituído em 1975 por uma iniciativa da UNESCO através da International Music Council, organização não-governamental  fundada em 1949, que tem o objetivo de promover a paz e a amizade entre os povos com o auxílio da música.

Em comemoração a este dia, a Biblioteca Central da UFRGS vem compartilhar uma parte muito especial da Coleção Eichenberg. Além de mais de uma centena de obras raras tratando do assunto, você encontra obras essenciais para entender e conhecer a história da música ocidental e aspectos da música popular brasileira. Confira no Sabi+ itens dos acervos físicos e eletrônicos da UFRGS disponíveis para consulta.

Para os apaixonados, estudiosos, curiosos e entusiastas da cultura musical, algumas sugestões de fontes riquíssimas para pesquisa e escuta que valem muito a pena conhecer:

Discoteca Pública Natho Henn
Localizada na Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre-RS, a Discoteca Pública Natho Henn é um espaço único na capital. Centro de memória e prática cultural, visa  preservar, organizar e divulgar a produção musical nacional e internacional em seus diferentes suportes. Com acervo formado por discos, gravações em áudio e vídeo, livros e partituras, espaço é destinado a pesquisadores, músicos e público em geral. Várias atividades também são oferecidas aos visitantes, como audições individuais, audições comentadas, oficinas, exposições, apresentações de recitais e conferências.
Maiores informações, acesse a página da Casa de Cultura ou escreva para discoteca@nathohenn.rs.gov.br.

Música e Acervos Sonoros da Biblioteca Nacional 
Composto por mais de 250 mil peças, o acervo reúne uma vasta coleção de livros, partituras, fotografias, programas de concerto, manuscritos e libretos de ópera, todos eles guardando alguma relação com a história da música no Brasil e no mundo. Acesse os recursos disponíveis aqui.
Dica da BC: a Coleção Discos Digitalizados é imperdível! É possível escutar trechos e obras completas. Escute Atrahente, de Chiquinha Gonzaga aqui.

Reserva Técnica Musical do Instituto Moreira Salles
O Instituto Moreira Salles conta com acervos nas áreas de fotografia, literatura, iconografia, artes plásticas, cinema e música. Algumas partes dos acervos estão disponíveis para consulta no site da instituição, além de consulta presencial, diretamente em seus centros culturais na região Sudeste do Brasil.
Quanto ao acervo musical, o Instituto tem sob sua guarda vinte acervos com importantes documentos de compositores, instrumentistas, pesquisadores e colecionadores, entre eles Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth e Pixinguinha.
Os acervos são compostos por uma grande diversidade de suportes, que incluem desde partituras e gravações musicais preciosas, até livros, fotografias, documentos e registros de programas de rádio e entrevistas. É possível ouvir as gravações originais de alguns dos artistas, como Baden Powell, aqui.

Arquivo Sonoro Digital do Fado
Desenvolvido através de uma parceria entre o Museu do Fado, da Câmara Municipal de Lisboa, e o Instituto de Etnomusicologia, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas-Universidade Nova de Lisboa, o Arquivo Sonoro Digital reúne milhares de registos de fados gravados, desde o início do século XX, consubstanciando-se no maior repositório histórico do som existente em Portugal. No site, você tem acesso à base de dados do Arquivo, que permite pesquisa e acesso a milhares de registos sonoros desde o início do século, até à implementação da gravação eléctrica.

Brasil Memória das Artes
Com o intuito de tornar seu acervo acessível a um número cada vez maior de usuários, desde o começo dos anos 2000, a Funarte (Fundação Nacional de Artes) vem adaptando seu acervo defotos, arquivos sonoros, textos, documentos – para serem digitalizados e disponibilizados ao público, na internet. Constituem esses acervos uma parte considerável da memória das artes cênicas, da música e das artes plásticas do Brasil. Na página da Funarte, o projeto Brasil Memória das Artesengloba subprojetos como o Discos Projeto Almirante  e o Projeto Pixinguinha , com disponibilização de áudios, documentos de texto e imagens.

Muito distante da pretensão de ser uma lista exaustiva, acima algumas fontes interessantes para mergulhar principalmente na história da música brasileira.
Tem alguma sugestão? Compartilhe conosco!

Bom proveito!

Do livro “L’Art de La Musique”, de Guy Bernard.
Coleção Eichenberg, 78 (091) B518a 

 

1 de outubro de 2019

Publicado por Zuleika Branco