Épicos: um desafio à leitura

Compartilhe


O Departamento de Obras Raras da Biblioteca Central apresenta a 14. Nanoexposição de livros raros da Coleção Eichenberg “Épicos: um desafio à leitura.”

“[…] ler um poema épico é também fazer uma viagem de retorno às nossas origens culturais, porque esses textos já foram lidos e comentados por muitas pessoas no passado e todo esse trabalho contribuiu muito para a formação disso que nós chamamos hoje em dia “cultura ocidental”. Por isso, muitas pessoas conhecem a história de Edipo, seja porque Freud se valeu do mito desse herói para construir uma de suas teorias mais difundidas, seja porque essa narrativa já serviu de base para um trecho de uma letra da banda The Doors e de ponto de partida para uma novela da Rede Globo.”
(Santos, p. 29, 2017)

O termo ‘épico’ é um adjetivo que designa algo memorável, extraordinário. Em literatura, uma epopeia é constituída por narrativas intensas e majestosas. Segundo Santos, “a produção de epopeias configurou-se como o espaço mais comum para a expressão literária de grandes feitos heroicos” (p. 21, 2017). Diz o mesmo autor, que o termo  designado para este tipo de produção literária tem sentido tautológico: o que é narrado “é memorável por ser grandioso; é grandioso por ser memorável”.

As primeiras obras deste gênero literário são Ilíada e Odisseia, atribuídas a Homero (c.700?), poeta da Grécia Antiga. Acredita-se que Homero usou narrativas oriundas de história oral como fonte de informação para escrever as duas epopeias. Dada a escassez de registros desta época, estes poemas foram e são fontes essenciais para conhecer um pouco sobre a civilização grega.

A Divina Comédia, do considerado o primeiro e maior poeta da língua italiana Dante Alighieri (1265-1321), e Os Lusíadas, do considerado o poeta português mais completo de sua época, Luís de Camões (1524-), são outras obras essenciais e referenciais para conhecer o estilo épico na literatura ocidental.

Um “spoiler” sobre a Nanoexposição: o grande em beleza e tamanho Divina Comédia, é um dos selecionados para esta mostra. Com quase um metro de comprimento, o “livrão” tem uma capa pesadíssima de madeira e ilustrações fascinantes.

Bônus: alguns dos livros do acervo raro da BC foram tema do artigo de Araldo Neto, publicado na Revista Adverso de julho/agosto de 2015 e que você pode acessar aqui

Será que você já leu algum dos livros em exposição?

A mostra está linda, instigante e imperdível!

De segunda a sexta das 8 às 18h na Biblioteca Central – térreo da Reitoria da UFRGS.

Em breve, divulgação do catálogo virtual.

Sobre a exposição
Planejamento e organização: Departamento de Obras Raras da Biblioteca Central
Apoio: Laboratório de Conservação e Restauração
Arte do cartaz: Júlia Carvalho

Fontes consultadas
Alves, Hélio: s.v. “Epopeia”, E-Dicionário de Termos Literários (EDTL), coord. de Carlos Ceia, ISBN: 989-20-0088-9. Disponível em: [http://edtl.fcsh.unl.pt/encyclopedia/epopeia/] Acesso em: 05/08/2019

SANTOS, Dominique (org.). Grandes epopeias da antiguidade e do medievo. Blumenau: Edifurb, 2014.

 

 

 

15 de agosto de 2019

Publicado por Zuleika Branco