Gilberto Freyre, intérprete do Brasil

Compartilhe

“Sem um fim social, o saber será a maior das futilidades.”
Gilberto Freyre (15/03/1900-18/07/1987)

Nascido em Pernambuco, Gilberto de Mello Freyre se dedicou aos ofícios de artista plástico, jornalista, cartunista e escritor. O sociólogo e antropólogo é pioneiro da Sociologia no Brasil e um dos mais importantes estudiosos do século XX.

Considerado o mais complexo e contraditório entre os grandes pensadores brasileiros, dedicou-se a questões até hoje atuais e seu pensamento tem sido objeto de estudo e desafio a seus leitores.

Temas polêmicos tratados pelo autor, como racismo, estrutura das relações entre brancos e negros e mestiçagem, são pontos por vezes refutados por outros pensadores da questão racial. Consideradas as contraposições, sendo estes temas muito longe de serem superados, trazer Gilberto Freyre para a discussão é atual e necessário.

Sua obra mais importante, “Casa Grande & Senzala”, foi escrita em 1932 e publicada em 1933. O livro revolucionou a escrita da história do Brasil, pela forma como foi escrito e pelas fontes em que se baseou o autor, através de relatos orais, documentos pessoais e manuscritos, para tratar da formação da sociedade brasileira, no contexto da miscigenação entre os brancos portugueses, negros africanos escravizados e povos indígenas.

Foi membro do Conselho Federal de Cultura desde a sua criação, diretor do Centro Regional de Pesquisas Educacionais e presidente do conselho-diretor da Fundação Joaquim Nabuco. Entre diversos prêmios, troféus e medalhas recebidos pelo estudioso, em 1962, a escola de samba Mangueira o homenageou com um enredo inspirado na obra “Casa Grande & Senzala”.

Gilberto Freyre é até hoje o intelectual mais premiado da história do país.

Quer saber mais sobre a obra de Gilberto Freyre? Um vasto acervo de e sobre o autor te aguarda na BC!

Localização dos livros da foto, na Coleção Eichenberg
Casa Grande & Senzala: 301(81) F894c 10. ed.
Retalhos de jornais velhos: 301(81) F894r 2.ed.
Sobrados e mucambos: 301(81) F894s

Fontes consultadas
Intérpretes do Brasil
Fundação Joaquim Nabuco

22 de março de 2019

Publicado por Zuleika Branco