O que é Fator de Impacto das revistas científicas?

O Fator de Impacto (FI), ou Impact Factor (IF) como foi originalmente nomeado, é a principal métrica utilizada para avaliar as revistas científicas por todo o mundo ao contabilizar as citações recebidas, sendo que até mesmo no Brasil algumas comissões do Qualis Periódicos utilizam a ferramenta para compor suas avaliações.

Neste post, vou explicar em linhas gerais o que é esta métrica, sabendo que, assim como todas os parâmetros, o Fator de Impacto tem limitações que podem distorcer a realidade das revistas avaliadas (especialmente daquelas fora do Journal Citation Reports (JCR) da Thomson Reuters). Caso queira saber as críticas sobre o Fator de Impacto, leia também este texto que publicamos.

Antes de entender melhor como se calcula o Fator de Impacto e qual é o significado deste parâmetro para os periódicos, vamos retomar ao contexto que a métrica surgiu e foi se enraizando na produção acadêmica mundial.

 

Breve história do Fator de Impacto

Já contamos um pouco em nosso blog sobre quem foi Eugene Garfield, o pioneiro da Cientometria que idealizou o Science Citation Index e fundou o Institute for Science Information (ISI), que desde 1992 pertence à Thomson Reuters.

Basicamente, o ISI é um banco de dados com periódicos selecionados que irão compor a análise quantitativa de referências feitas e, consequentemente, citações recebidas para o cálculo do Fator de Impacto, ou seja, o FI utiliza a tradicional métrica por citações de artigos para qualificar as revistas.

O primeiro experimento dessa métrica foi realizado em 1960 com o Genetics Citation Index, que se tornaria o Science Citation Index, uma base de dados de resumos em inglês de todas as revistas indexadas. Com o tempo, surgiram também indexadores para outras grandes áreas da ciência que compõe a coleção Web of Science, como Arts & Humanities Citation Index, Science Citation Index Expanded, Social Sciences Citation Index e Emerging Sources Citation Index. São com os periódicos que compõem o Web of Science que se calculam as diferentes estatísticas do Journal Citation Ranking (JCR), como o Fator de Impacto

Em artigo na revista Química Nova, Angelo Pinto e Jailson Andrade explicam que para compor essa coleção, são dois dos critérios mais importantes: a periodicidade e o impacto da revista medido pelo número de citações recebidas.

Eugene Garfield, o criador do Fator de Impacto explicou na Wiki do JCR que desde a consolidação dos primeiros periódicos científicos os bibliotecários e cientistas da informação avaliavam as revistas científicas, mas sem parâmetro de comparação. Sendo que só com o Fator de Impacto foi possível fazer análises com base em dados estatísticos.

No entanto, em seu trabalho apresentado no International Congress on Peer Review and Biomedical Publication, em Chicago no ano de 2005, Garfield relata que a primeira vez que mencionou a ideia do Fator de Impacto foi na revista Science em 1955, mas na época ele não imaginou que “impacto” poderia ser considerado controverso anos depois.

Isso porque a métrica do Fator de Impacto foi criada para medir apenas o impacto dos periódicos. No entanto, conforme sua popularização crescia, muitas instituições passaram a adotar a métrica também para pesquisadores, sem levar em conta que os pesquisadores publicam menos artigos que muitas revistas, dando o pontapé para o produtivismo acadêmico, o qual se exige que um pesquisador “publique cada vez mais ou pereça”.

Além de outras distorções e privilégios que as revistas inseridas na coleção Web of Science têm no debate científico frente aos periódicos ausentes, em sua maioria de países periféricos.

Como calcular o Fator de Impacto?

O Fator de Impacto de uma revista científica é calculado somente entre as revistas que compõem a grande coleção de Web of Science. Logo, não serão contabilizadas as citações de revistas da coleção obtidas em periódicos fora dela ou considerado Fator de Impacto para periódicos fora do WoS.

Deve-se ressaltar que outras coleções, como a Scopus, também calculam a abrangência de suas revistas indexadas por meio das citações, mas com outros nomes como Scimago Journal Ranking (SJC). O que é comumente chamado de termo “Fator de Impacto” é calculado apenas com as revistas indexadas no Web of Science, logo, revistas fora da coleção não possuem Fator de Impacto, embora possam medir suas citações em outras bases indexadoras.

O cálculo do fator de impacto por ano de uma revista é a soma de todas as citações que ela recebeu nos dois anos anteriores dentro da coleção dividido pelo total de artigos publicados no mesmo período, conforme imagem a seguir:

 

Isso significa que se a revista x quer saber o seu Fator de Impacto deste ano, serão calculadas quantas citações ela recebeu entre os periódicos da coleção Web of Science no ano passado e no anterior, dividido pela soma de artigos publicados nos mesmos anos.

Outros índices do JCR

Apesar de ser um dos mais conhecidos, o Fator de Impacto não é a única métrica reportada no Journal Citation Reports.

Segundo artigo publicado na Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e explicativo no Portal de Periódicos da UFSCar sobre a importância e influência do Fator de Impacto no meio editorial, existem mais de 30 índices medidos, como o Índice de Imediatez (Ii), também conhecido como Índice de Imediatismo (Immediacy Index) ou Fator de Impacto Imediato.

O Ii permite que os editores tenham uma visão geral de seus periódicos logo que eles são indexados, por exemplo, uma revista que acabou de ser indexada não precisa esperar dois anos para ter algum índice, com um ano ela pode conhecer seu Índice de Imediatismo; fora que se acredita que se o Ii for alto, provavelmente o FI também será.

Outra métrica que o JCR fornece para as revistas é a meia-vida das citações (cited Half-Life), que é o tempo em anos para que 50% das citações recebidas por um periódico apareçam na literatura; essa métrica é importante para se calcular a obsolência de um periódico, ou seja, quando se diminui a utilização da informação.

Outros índices interessantes para os editores-chefes gerenciarem a política editorial do periódico são o Fator de Impacto de Cinco Anos, similar ao cálculo do Fator de Impacto tradicional, mas utilizando cinco anos anteriores ao invés de dois, ou o índice de autocitação do periódico, entre outros aspectos quantitativos que o JCR oferece.

Aplicabilidade do Fator de Impacto

Eugene Garfield defende que agora bibliotecários e pesquisadores conseguem fazer uma pesquisa de mercado sobre as revistas científicas, já que o Fator de Impacto fornece dados quantitativos que indicam aproximadamente quais revistas possuem mais prestígio acadêmico.

No entanto, o criador do Fator de Impacto também pondera a necessidade de uma análise complementar sobre a qualidade da revista, como se ela pratica revisão por pares, produtividade, entre outros fatores subjetivos sobre a política editorial.

Mesmo com seus benefícios, o Fator de Impacto também apresenta distorções e cuidados, sendo que ele recebe críticas até mesmo por seu cálculo, que estabelece o mesmo tempo de vida para todos os artigos de áreas e públicos de maturação diferentes.

Fonte: Texto de Kátia Kishi para Galoá Journal

11 de setembro de 2017

Publicado por Priscila Jacobsen