Pesquisadores usam BitTorrent para compartilhar dados científicos

Compartilhe

Serviço usa mesma tecnologia utilizada em sites de pirataria. Objetivo é facilitar troca de grandes arquivos especializados

Pesquisadores da Universidade da Califórnia Davis criaram um site baseado no protocolo BitTorrent dedicado à Ciência. O BioTorrents é um “serviço de compartilhamento de arquivos de dados científicos”, criado com o objetivo de permitir que pesquisadores compartilhem grandes quantidades de dados – de forma mais rápida e confiável.

Com isso, é possível que os cientistas compartilhem rapidamente os seus resultados, conjuntos de dados e software necessários para o desenvolvimento de pesquisas científicas. O sistema utiliza tecnologia conhecida como “peer-to-peer” (P2P), ou “ponto a ponto”, a mesma usada por piratas para troca de arquivos de filmes e música ilegamente na internet.

“A transferência de dados científicos surgiu como um grande desafio, à medida que o continua a crescer tamanho de conjuntos de dados e aumenta a procura por compartilhamento com acesso livre. Os métodos atuais para transferência de arquivos não se adaptam bem a grandes arquivos, podendo levar muito tempo”, dizem os criadores do site.

“Nós apresentamos o BioTorrents, um site que permite o compartilhamento de acesso público a dados científicos e usa a popular tecnologia de compartilhamento peer-to-peer BitTorrent. O BioTorrents permite que arquivos sejam transferidos rapidamente devido ao compartilhamento de banda entre múltiplas instituições e prevê transferências de arquivos mais confiáveis, devido à checagem de erro da tecnologia de compartilhamento de arquivo”, explica o site.

“Esta forma de publicação de dados permite o acesso livre e rápido à informação que poderia acelerar a ciência, especialmente em eventos temporais, tais como os recentes surtos de gripe H1N1 ou síndrome respiratória aguda grave (SARS)”, dizem os cientistas. “Não importa em qual circunstância, BioTorrents fornece um recurso útil para promover o compartilhamento público de informação científica”.
(G1, 27/4)

Fonte: JC e-mail 3998
Data: 28/04/2010

28 de abril de 2010

Publicado por Gabriela Marchioro