Redes sociais e periodismo científico: desafios aos editores

No v. 40, n. 2, abr./jun. 2014, do periódico “Educação e Pesquisa”, Jaime L. Benchimol, pesquisador titular da Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz, e editor científico de História, Ciências, Saúde Manguinhos, com Roberta C. Cerqueira e Camilo Papi publicaram o artigo “Desafios aos editores da área de humanidades no periodismo científico e nas redes sociais: reflexões e experiências¹”que traz à tona reflexões sobre as dificuldades e experiências em se produzir, manter e divulgar um periódico de qualidade. […]
Em três eixos os autores discutem: 1) os processos de hierarquização e internacionalização dos periódicos brasileiros; 2) as formas de divulgação de conteúdo e avaliação do seu impacto; e, 3) as tendências quantitativas e produtivas que cercam o meio acadêmico. Além disso, abordam as dificuldades para internacionalizar o periódico HCS-Manguinhos e a experiência com o uso das redes sociais. Apresentam questões específicas da pesquisa na área de humanas e ponderam sobre o número de periódicos brasileiros em funcionamento (entre três a quatro mil) em detrimento a quantidade/qualidade e como os órgãos avaliativos e as políticas interferem nesse processo.
Cabe ressaltar que os argumentos levantados neste artigo têm sido alvo de discussões por pesquisadores, entidades, grupos, bases de dados, entre outros, dos rumos e alternativas para que a pesquisa brasileira possa se consolidar no meio internacional. Publicações recentes apontam o crescente número de produções versus o baixo índice de tudo que se publica em nosso país.
Pautado nas discussões apresentadas nesta entrevista, Jaime emite seu ponto de vista aos desafios presentes na gestão, publicação e internacionalização de um periódico e com sua experiência auxilia-nos a compreender como intervir no processo de melhoria. Confira a entrevista na íntegra.
Fonte: Texto de Viviane Gonçalves de Campos para o Blog Scielo em Perspectiva.
17 de setembro de 2014

Publicado por Priscila Jacobsen