Rio de Janeiro ganha primeira Biblioteca-Parque do país

Compartilhe

Ministério da Cultura investe R$ 2,5 milhões no Complexo Cultural de Manguinhos, além dos R$ 23,5 milhões aplicados em bibliotecas, pontos de cultura, agentes de leitura e demais ações do MinC no estado

Um novo conceito de biblioteca nasceu hoje no país. O ministro da Cultura, Juca Ferreira, e o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, inauguraram nesta quinta-feira, 29 de abril, a primeira biblioteca-parque do Brasil, em Manguinhos, na capital fluminense. O projeto é baseado na experiência colombiana de Medellín, que investe na construção de equipamentos culturais como forma de promover inclusão social.

O Ministério da Cultura investiu R$ 2,5 milhões para equipar a Biblioteca-Parque de Manguinhos. Os recursos do Programa Mais Cultura possibilitaram a construção de um cineteatro, além da aquisição de equipamentos, mobiliário e acervo de 25 mil livros, 800 filmes e três milhões de músicas para audição, dentre outros itens. O equipamento teve investimento total de R$ 8,6 milhões, dos quais R$ 7,4 milhões do Governo Federal e R$ 1,2 milhão da contrapartida do governo do estado.

A Biblioteca-Parque de Manguinhos ocupa 2,3 mil m² do terreno do antigo Depósito de Suprimento do Exército e atenderá a 16 comunidades da Zona Norte do Rio de Janeiro, cuja população soma, aproximadamente, 100 mil habitantes. O local foi totalmente urbanizado e transformado no lugar de maior concentração de equipamentos sociais em uma área carente da cidade, com escola, centro de saúde, complexo esportivo, entre outros.

“Esta não é uma biblioteca que fica esperando o leitor, mas que o convida a entrar”, disse o ministro Juca Ferreira. Também destacou que o MinC já investiu R$ 26 milhões no Rio de Janeiro, em ações de livro e leitura. Os recursos foram aplicados na modernização de 72 bibliotecas, na criação de 139 Pontos de Leitura e 50 Pontos de Cultura, na instalação de 51 Cines Mais Cultura, em 15 bibliotecas comunitárias e na seleção e formação de 200 Agentes de Leitura.

Conceito

A Biblioteca-Parque de Manguinhos faz parte de um novo conceito deste tipo de equipamento cultural que o governo brasileiro começa a implantar. Inspirada no modelo colombiano, é um ambiente de convivência da comunidade. O espaço físico é amplo, com janelas que interligam tanto o prédio internamente quanto com a parte externa, oferecendo lugares para que a comunidade usufrua de fato do local: o acervo está ao alcance do usuário e há poltronas e sofás disponíveis – além de revistas espalhadas por todos os cantos.

Pensando neste novo conceito de biblioteca, o complexo cultural tem ludoteca, filmoteca, sala de leitura para portadores de deficiências visuais, acervo digital de música, cineteatro, cafeteria, acesso gratuito à Internet e uma sala denominada Meu Bairro, para que a comunidade da região faça reuniões.

“Queremos encurtar as distâncias nesta cidade e a cultura é o menor caminho para juntar pontos diferentes”, disse a secretária estadual de Cultura, Adriana Rattes. Ela lembrou, na inauguração, que a biblioteca de Rui Barbosa tinha um acervo de 30 mil volumes e, por isso, disse que quer a de Manguinhos maior que esta, com acervo em constante construção. O governador Sérgio Cabral lembrou ainda que, antes das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Manguinhos, a área estava abandonada.

Embaixadora da Cultura – Durante a cerimônia de inauguração de Manguinhos, a personagem Mônica, criada por Maurício de Sousa, recebeu do ministro Juca Ferreira o título de Embaixadora da Cultura. Além da relevância das histórias da Turma da Mônica como conteúdo cultural e da eficácia das revistas como recurso pedagógico de estímulo à leitura, Maurício doou três milhões de gibis ao Programa Mais Cultura, do Ministério da Cultura, para distribuição em bibliotecas e Pontos de Leitura de todo o país. Deste total, 100 mil foram destinados para a nova biblioteca. “Isso que está acontecendo aqui é uma revolução”, disse o cartunista. Na cerimônia, ele anunciou que pretende fazer com que um percentual de cada livro seu possa, também, ser doado para as ações do MinC.

Investimentos em Bibliotecas

Além da Biblioteca-Parque de Manguinhos, o MinC já investiu R$ 18,5 milhões para modernizar bibliotecas de grande porte em vários estados brasileiros – Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco; Biblioteca de São Paulo; Biblioteca Pública Estadual de Alagoas; Biblioteca Nacional, em Brasília; Biblioteca de Referência Governador Menezes Pimentel, no Ceará; Biblioteca Pública do Estado da Bahia; Biblioteca Thiago de Mello, no Amazonas; e Biblioteca de Cruzeiro do Sul, no Acre.

Até o fim do ano serão investidos mais R$ 14,3 milhões na Biblioteca Digital Latinoamericana, no Pará; Biblioteca Pública de Santa Catarina; Biblioteca Pública do Rio Grande do Sul; Biblioteca Thiago de Mello (2ª etapa); Biblioteca de Cruzeiro do Sul (2ª parcela); Biblioteca de Referência de Canoas, no Rio Grande do Sul; e Biblioteca Pública do Rio de Janeiro.

Entre 2003 e 2009, o MinC investiu mais de R$ 286 milhões em políticas públicas de incentivo à leitura e acesso ao livro. O aporte de recursos no setor saltou de R$ 6 milhões, em 2003, para R$ 95 milhões em 2009, por meio do Programa Mais Cultura – crescimento superior a 1.500%.

Fonte: Portal do MinC
Data: 30/04/2010

30 de abril de 2010

Publicado por Gabriela Marchioro