Categoria: Integração (Página 1 de 15)

NOTA DE RECONHECIMENTO DAS ASSOCIAÇÕES ATLÉTICAS DA UFRGS

NOTA DE RECONHECIMENTO DAS ASSOCIAÇÕES ATLÉTICAS DA UFRGS

 

Em primeiro lugar, cumpre destacar que um dos princípios basilares que regem o CAAR é o do protagonismo estudantil. Em um ambiente acadêmico em que se luta diariamente por uma administração mais democrática e inclusiva da nossa Universidade, é indispensável valorizar e apoiar estudantes que se organizem em torno de uma determinada pauta ou demanda.

 

Vale também lembrar que não vemos com frequência atividades ou mesmo fomento ao esporte na nossa vida acadêmica. Ainda que seja uma demanda de considerável adesão estudantil, a UFRGS se esforça em simular uma consistência do setor esportivo, quando, na verdade, identificamos uma visível carência e indiferença por parte dos gestores.

 

Nesse sentido, manifestamos o nosso reconhecimento das Associações Atléticas da nossa Universidade enquanto legítimas entidades estudantis desportivas, afinal, inarredável o fato de que se encontram atuantes e bem estruturadas neste meio acadêmico. Estas não só acabam por suprir a defasagem nesse setor, mas constituem a própria ideia de autonomia e protagonismo estudantil nas atividades universitárias.

 

Reconhecer a legitimidade institucional das Atléticas, entretanto, de modo algum deve significar o enfraquecimento das entidades políticas representativas que há muito dão voz à nossa categoria no ambiente universitário. É crucial frisar, então, que cabe unicamente aos Diretórios e Centros Acadêmicos, assim como ao Diretório Central de Estudantes (DCE), a representação política estudantil, seja nos Conselhos, nos Departamentos ou nos demais órgãos administrativos da UFRGS e de suas unidades. Em resumo, não se reconhece, portanto, qualquer representação política institucional por parte das Atléticas, tendo em vista seu caráter exclusivamente desportivo.

 

Nesse sentido, ainda que não caracterize atividade de ensino, pesquisa ou extensão, o esporte deve ser visto, sim, como uma atividade essencial. Nada mais desejável, portanto, que seu fomento e organização partam da iniciativa da própria comunidade estudantil – e, por tal motivo, autênticas e legítimas são essas organizações desportivas.

 

Por fim, imprescindível mencionar que o reconhecimento institucional das Atléticas deve ser imediatamente acompanhado pelo comprometimento destas no combate irrestrito às opressões nos seus espaços de atuação. Não compactuamos com qualquer ato machista, racista ou LGBTfóbico, seja nos eventos, atividades, declarações ou cantos. A banalização da cultura opressora não pode ser justificada por nada, nem pelo ambiente esportivo, pelo amor à camisa ou pelo “calor do momento”.

 

Saudações acadêmicas.

Porto Alegre, 12 de março de 2015.

 

 

Centro Acadêmico André da Rocha – CAAR

Gestão ComPosição

 

 

 

NOTA DE APOIO À MOBILIZAÇÃO CONTRA A ALOCAÇÃO DAS SALAS DE AULA

Em deliberação durante a Reunião Extraordinária do CAAR, que aconteceu ontem, dia 02/03/2015, às 18h30min, aprovou-se a publicação de nota de apoio ao protagonismo estudantil que culminou em mobilização para solucionar as alocações incabidas das salas de aulas. O que ocorreu foi a determinação, sob responsabilidade da UFRGS e especialmente da Direção da nossa Faculdade, de que UNICAMENTE as pessoas que ingressaram no curso através do REUNI ou a partir do segundo semestre letivo estariam destinadas, MAIS UMA VEZ, a assistir aula em salas externas ao dito “Castelinho” e principalmente externas ao Campus Centro. Assim, já estando o corpo discente em tratativas com a Direção da Faculdade, o CAAR assina a seguinte nota de apoio:

“Mais uma vez, pudemos observar o quanto a democracia está longe de ser um dos pilares da nossa administração pública. A Faculdade de Direito, local em que, em tese, deveríamos aprender a defesa dos direitos fundamentais, virou de novo cenário do descaso com a efetivação destes.

A falta de comprometimento da nossa administração tem gerado imensos danos ao corpo discente ao longo dos últimos semestres, desde a complacência que compactua com fraudes nos concursos públicos, até a incapacidade de manutenção de uma infraestrutura de qualidade, capaz de atender as necessidades de nossa categoria.

Nas férias, presenciamos a evacuação do Prédio Novo e os trâmites pela alocação de turmas. Este processo culminou com uma grande parcela de estudantes sem salas de aula e outra grande parte sendo obrigada a se deslocar longas distâncias para atender às cadeiras em locais “arranjados”. A negligência com o espaço físico, com a qualidade de ensino, e com a segurança de servidores e de estudantes é preocupante, mas o que mais assusta é quem foi escolhido para sofrer os efeitos da má administração.

O REUNI representa a democratização do Ensino Público. Entretanto, atualmente, na nossa Faculdade, esse objetivo aparenta ser muito mais da boca para fora do que uma real busca pela igualdade. Desde a implementação do projeto na FD, as turmas de segundo semestre pouco ou nunca tiveram aula dentro do Castelinho, o que dificulta o contato delas com professores, bibliotecas, Centro Acadêmico, grupos de pesquisa e extensão. Estes foram segregadas para espaços externos da Faculdade. O que constrange, contudo, não é única e exclusivamente o deslocamento, mas sim que estes sejam quase que exclusivamente impostos a esses grupos. Para alguns, isso pode parecer um aspecto meramente físico, mas se olharmos pelo aspecto de que as turmas de segundo semestre são compostas majoritariamente de estudantes de cotas sociais e raciais, o problema se agiganta. Quem socialmente já é segregado é recepcionado com mais diferenciação. Por mais que a UFRGS tenha incorporado as ações afirmativas, existe uma clara diferenciação, com consequências opostas ao que se esperava desse projeto. De fato, o que se observa é que estudantes não tem as mesmas oportunidades de se integrar no espaço da faculdade.

Para além da falta de espaço nos prédios vizinhos, para além de todas as propostas feitas pelo Centro Acadêmico no sentido de promover uma rotatividade das pessoas dentro dos espaços: o que se vê é a nítida manutenção do caráter elitista do espaço da Universidade, que deveria ser pública e popular. Naquele douto reduto que é o Castelinho estão destinados a passar as mais brilhantes mentes da nossa egrégia Faculdade, mas – pelo que tudo indica – não as pessoas que ingressam na Faculdade através do REUNI. Tais pessoas, para a direção da Faculdade, não seriam dignas de usar dos mesmos espaços que as demais.

É por isso que o Centro Acadêmico André da Rocha apoia a luta promovida pelos alunos e pelas alunas no sentido de buscar uma rotatividade das salas de aula, no sentido de acabar com a silenciosa segregação dos espaços acadêmicos, fortalecendo assim o movimento estudantil e a constante abertura e ocupação plural desse espaço tão estagnado. Seguimos na luta por uma Universidade realmente pública, popular, democrática e de qualidade!”

Gestão Composição – Centro Acadêmico André da Rocha

Reunião Ordinária 01/2015, a ocorrer dia 11/02 às 18h30

ERRATA: Em razão de evento de recepção dos/as calouros/as, a reunião foi transferida do dia 11/02 para quinta-feira, 12/02. às 18h30, na sede do CAAR.

O CAAR convoca as pessoas associadas para a próxima reunião ordinária, a ocorrer no dia 12/02, às 18h30, na sede do CAAR, com a seguinte pauta:

1. Informes
2. Calouradas
2.1. Moldes do evento (assuntos, datas, local, …)
2.2. Dia 1 – Tema e responsáveis
2.3. Dia 2 – Tema e responsáveis
2.4. Dia 3 – Tema e responsáveis
3. Questão prédio branco e evacuações
4. Revezamento de salas
5. Assuntos Gerais

A tua presença é muito importante.
Ocupa teu CA!

REUNIÃO ORDINÁRIA, 06/10, ÀS 18H30

O CAAR convoca as pessoas associadas para a próxima reunião ordinária, a ocorrer no dia 06/10, às 18h30, na sede do CAAR, com a seguinte pauta:

1. Informes

2. Retornos:
– Semana Acadêmica (certificados, contato palestrantes, atividade de integração, entre outros)
– SIC
– CAAR em Debate Opressões: organização e cartilha
– NAU

3. CAARpintaria: Distribuição de tarefas

4. CAARLivre

5. CAARTour

6. Encaminhamentos da reunião sobre Segurança Pública: (re)divisão de tarefas e organização

7. Convite da faculdade de Biblioteconomia aos RDs do Direito para participação na Semana Acadêmica

8. Proposta de evento conjunto com a Biblioteca da Faculdade de Direito

9. Conselho das Entidades de Base (CEB): repasses e decisão quanto à participação em comissão eleitoral das eleições do DCE

10. Adesivos

A tua presença é muito importante.
Comparece e pluraliza teu CA!

Convocatória Reunião Ordinária, 12/09/ às 10h30min

O CAAR convoca as/os associadas/os para a próxima reunião ordinária, em caráter de urgência, a ocorrer no dia 12/09, às 10h30min, com a seguinte pauta:

1. INFORMES
2. RETORNOS DA SEMANA ACADÊMICA
3. DATA E FORMATO PARA O CAARPINTARIA
4. AVALIAÇÃO DO NOVO PROJETO DO JORNAL A TOGA
5. DIREITÃO

Lembramos que a tua presença é muito importante.

Compareça e pluralize teu CA!

Página 1 de 15

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén