Arquivos da categoria: Eleições presidenciais

Ex-primeiro-ministro é declarado presidente da Argélia

Via: Aljazeera

Milhares de manifestantes se reuniram nas ruas da capital da Argélia depois que o ex-primeiro-ministro Abdelmadjid Tebboune foi declarado vencedor das eleições presidenciais na Argélia. Tebboune – que também atuou como ministro da Habitação sob Abdelaziz Bouteflika – ex-presidente forçado a renunciar em abril após protestos em massa – conquistou 58,15% dos votos de quinta-feira, segundo resultados preliminares anunciados na sexta-feira. O rival mais próximo do jogador de 74 anos, Abdelkader Bengrina, ficou em segundo lugar com 17,38%. O ex-primeiro-ministro Ali Benflis ficou em terceiro, com 10,55%, enquanto o ex-ministro da Cultura Azzedine Mihoubi ficou em quarto lugar, com 7,26%. Abdelaziz Belaid, chefe do partido el Moustakbal, obteve 6,66%.

Leia mais aqui

Namíbia reelege presidente em exercício com oposição alegando fraude

Via: Africanewes

O líder da Organização Popular da África Ocidental (SWAPO), que está no poder desde a independência da Namíbia em 1990, estava bem à frente de Panduleni Itula, candidato dissidente da SWAPO, que obteve 30% dos votos, segundo dados da comissão eleitoral lançados sábado à noite. O líder da oposição McHenry Venaani fez uma pesquisa de apenas 5,3%. Seu partido, o Movimento Democrático Popular cujo possuia laços com o apartheid da África do Sul, continuam a desencorajar uma grande parte do eleitorado. No entanto, Panduleni Itula e o líder de um novo partido da oposição, o Movimento Sem Terra (LPM) de Bernadus Swartbooi, relataram fraude eleitoral. Itula alegou que o exercício foi marcado por “irregularidades”.

Leia mais aqui

Filipe Nyusi reeleito Presidente moçambicano

Via: The African Exponent

Filipe Nyusi foi reeleito como presidente de Moçambique depois de ganhar 73% do total de votos expressos.De acordo com os resultados oficiais anunciados há algumas horas, o partido da Frelimo no poder terá 74% dos assentos no parlamento. Na Assembleia Nacional de 250 lugares, a Frelimo ganhou 184 lugares, a Renamo 60 e o partido MDM obteve seis lugares. O principal partido da oposição no país, a Renamo, no entanto, rejeitou os resultados, alegando que as eleições foram marcadas por fraude e intimidação. O candidato da Renamo, Ossufo Momade obteve 22% dos votos, de acordo com a comissão eleitoral de Moçambique, que relatou uma participação geral de 51% dos eleitores. A oposição diz que 22% não reflete a grande participação presenciada durante suas campanhas.

Leia mais aqui