Sobre o Centro Cultural

EQUIPE

CLAUDIA MARA ESCOVAR BOETTCHER

GUILHERME STASZAK BALDEZ

MARRIENI DUARTE

PAULO RICARDO NUNES

  • Técnico em Contabilidade
  • Email:
  • Ramal: 1981

RENAN SANDER

VLADIMIR SANTOS

EDGAR WOLFRAM HELDWEIN

NICOLAS MEDEIROS COLLAR

VICTOR ROCHA SOUZA

VITOR MARQUES CUNHA

JOÃO VITOR C. NOVOA

ANNA ORTEGA

MARINA CARVALHO

MATHEUS LAUX

RODRIGO FERNANDEZ DOS REIS

RAFAEL DEROIS SANTOS

ELLEN HIROMI KAMBARA

MELISSA CHASSAVOIMAISTER

ROCHELE RESENDE PORTO

ANA CAROLINA VIEIRA

NÍVIA FERREIRA DE SOUZA

LÍGIA PETRUCCI

CAROLINE QUEIROZ MARQUES

MARCELO CAMPOS

ESTRUTURA

Centro Cultural da UFRGS possui em seus três pavimentos, que totalizam 3.089m², ambientes com diversos formatos, todos com o pé direito alto e amplas janelas, que fornecem iluminação natural e vista privilegiada para o Parque Farroupilha. As salas multiuso, os auditórios e os estúdios de gravação contam com isolamento acústico, sistema de climatização e acessibilidade a pessoas com deficiência.

O espaço é projetado também para receber eventos empresariais e acadêmicos, pois oferece quatro auditórios (com capacidade para públicos entre 60 a 165 pessoas); sete salas multiuso (que comportam entre 15 e 80 pessoas); espaços para exposições; saguão com copa de apoio e terraço com vista para o Parque, ideal para realizar sessões de autógrafos, exposições e confraternizações.

 

SAGUÃO

Espaço Paineira  – 138m²

Foto: César Vieira

 

AUDITÓRIOS

Salas Ipê e Jacarandá  – 165 lugares

Salas Araucária e Coqueiro  – 60 lugares

 

 

SALAS MULTIUSO

Salas Pessegueiro e Limoeiro  – 52m²

 

Salas Pitangueira e Abacateiro  – 78m²

Salas Nogueira, Laranjeira e Cerejeira  – 95m²

 

ESPAÇOS EXPOSITIVOS

Espaços Acácia e Cinamomo  – 45m²

Vista externa do edifício após a construção

Fonte: Relatório da Escola de Engenharia relativo ao ano de 1925. Acervo do Museu da UFRGS.

O acervo arquitetônico da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) representa uma síntese da trajetória construtiva do Estado nos períodos de 1898 a 1928, e de 1951 a 1964, caracterizando-se como parte importante da memória da sociedade gaúcha e brasileira. Assim, o prédio do antigo Instituto de Química Industrial, localizado em Porto Alegre, no Campus Central, e que passou a abrigar a partir de 2018 o Centro Cultural da UFRGS, foi declarado como integrante do patrimônio cultural do Rio Grande do Sul, através da Lei Estadual 11.525/2000. Em 2008, o edifício passou a fazer parte do inventário de bens imóveis do patrimônio cultural da cidade de Porto Alegre.

O prédio do antigo Instituto de Química Industrial possui características de estilo eclético, mesclando assim diferentes linguagens arquitetônicas. Com forma rígida, geométrica, sobriedade e predominância de linhas retas, sua fachada frontal possui colunas toscanas e esculturas femininas, em pedestal de balaustrada, representando a Química. As portas e janelas contam com gradis de ferro, todos originais, cujo elemento decorativo serviu de inspiração para construção da identidade visual do Centro Cultural da UFRGS.

Em 1998 a Universidade Federal do Rio Grande do Sul inscreveu o projeto “Resgate do Patrimônio Histórico e Cultural da UFRGS” no Programa Nacional de Apoio à Cultura do Ministério da Cultura (PRONAC), o qual foi aprovado em 1999. A iniciativa visou não apenas recuperar as condições físicas dos prédios históricos, mas também despertar a consciência da comunidade para a preservação e valorização deste patrimônio cultural.

O projeto recebeu doações de pessoas físicas e jurídicas, através de recursos diretos ou com incentivo fiscal através da Lei Rouanet, e possibilitou a restauração, a reciclagem e a ocupação de prédios históricos da Universidade, dentre eles o do antigo Instituto de Química Industrial. As características originais do edifício foram mantidas e houve a incorporação de itens de segurança, conforto térmico, controle de umidade e acessibilidade.

O local foi escolhido para abrigar o Centro Cultural da UFRGS por possuir ambientes internos amplos, adequados para receber exposições, oficinas, cursos, palestras, saraus, apresentações e outras atividades de cunho artístico, suprindo, dessa forma, uma demanda por espaços para realização de atividades culturais, eventos acadêmicos e empresariais.

Em 2018 é concluída a obra de restauro do prédio do antigo Instituto de Química Industrial. A administração do espaço, até então sob responsabilidade do Setor de Patrimônio Histórico, vinculado à Superintendência de Infraestrutura (Suinfra), passa a ser realizada pela Pró-reitoria de Extensão da Universidade. Em 20 de agosto de 2018 é inaugurado o Centro Cultural da UFRGS. Em novembro do mesmo ano, o Departamento de Difusão Cultural da UFRGSassume a gerência administrativa do equipamento cultural. 

X