Author: Geisa Bugs

Levantamento colaborativo de dados mediado por plataforma digital

Este trabalho apresenta uma ação cidadã de levantamento de dados mediado por plataforma digital, a fim de refletir sobre o seu potencial e os possíveis desdobramentos no contexto de uma nova cultura tecnológica em função da pandemia de Covid-19. Considerando que as tecnologias digitais podem ser um poderoso instrumento na coleta de dados para formulação de políticas públicas urbanas, elevando os cidadãos à condição de cocriadores na construção colaborativa de cidades, apresentamos o projeto Rumbora se Amostrar, uma iniciativa de baixo para cima sobre o uso da bicicleta em São Luís e Grande Ilha, no estado do Maranhão. Por meio do relato dessa experiência e da análise descritiva dos resultados, esperamos contribuir para o debate atual acerca da presença das plataformas digitais nos diversos âmbitos das nossas vidas e, consequentemente, do seu papel no planejamento e na gestão urbana das cidades. Buscamos ainda demonstrar como a análise dos dados geolocalizados pode revelar importantes aspectos da dimensão humana, com destaque para as mulheres. Ademais, discutimos a relevância dessas metodologias e as suas possibilidades de aplicação para o desenvolvimento de propostas de intervenção e ações voltadas ao incremento da mobilidade ativa.

consulte Mais informação

Participação ativista-colaborativa utilizando cartografias digitais

O planejamento urbano, em tese, sempre foi baseado na coleta e troca de informações entre diferentes partes interessadas. Uma mudança no modelo informacional tem, invariavelmente, um impacto significativo em como se faz todo o processo. Ferramentas digitais possuem alto potencial para coleta de dados socioespaciais e temporais, o que é completamente diferente dos modelos estáticos de coleta de dados que o planejamento urbano comumente utiliza, por exemplo. Assim, distintos autores advogam a necessidade de uma reformulação no planejamento urbano através da utilização de tecnologias que permitam a criação de metodologias mais dinâmicas, interativas, e colaborativas. Assim, após uma breve perspectiva histórica, apresentam-se duas abordagens contemporâneas para o planejamento e a gestão urbana que tiram partido das tecnologias digitais: o planejamento eletrônico e a cidade inteligente.

consulte Mais informação

Spatial Data Analysis and Evaluation by Urban Planners of a PPGIS Experiment Performed in Porto Alegre, Brazil

O planejamento urbano, em tese, sempre foi baseado na coleta e troca de informações entre diferentes partes interessadas. Uma mudança no modelo informacional tem, invariavelmente, um impacto significativo em como se faz todo o processo. Ferramentas digitais possuem alto potencial para coleta de dados socioespaciais e temporais, o que é completamente diferente dos modelos estáticos de coleta de dados que o planejamento urbano comumente utiliza, por exemplo. Assim, distintos autores advogam a necessidade de uma reformulação no planejamento urbano através da utilização de tecnologias que permitam a criação de metodologias mais dinâmicas, interativas, e colaborativas. Assim, após uma breve perspectiva histórica, apresentam-se duas abordagens contemporâneas para o planejamento e a gestão urbana que tiram partido das tecnologias digitais: o planejamento eletrônico e a cidade inteligente.

consulte Mais informação

Planejamento Urbano e Participação

O planejamento urbano, em tese, sempre foi baseado na coleta e troca de informações entre diferentes partes interessadas. Uma mudança no modelo informacional tem, invariavelmente, um impacto significativo em como se faz todo o processo. Ferramentas digitais possuem alto potencial para coleta de dados socioespaciais e temporais, o que é completamente diferente dos modelos estáticos de coleta de dados que o planejamento urbano comumente utiliza, por exemplo. Assim, distintos autores advogam a necessidade de uma reformulação no planejamento urbano através da utilização de tecnologias que permitam a criação de metodologias mais dinâmicas, interativas, e colaborativas. Assim, após uma breve perspectiva histórica, apresentam-se duas abordagens contemporâneas para o planejamento e a gestão urbana que tiram partido das tecnologias digitais: o planejamento eletrônico e a cidade inteligente.

consulte Mais informação

Novas abordagens para o planejamento e a gestão urbana

O planejamento urbano, em tese, sempre foi baseado na coleta e troca de informações entre diferentes partes interessadas. Uma mudança no modelo informacional tem, invariavelmente, um impacto significativo em como se faz todo o processo. Ferramentas digitais possuem alto potencial para coleta de dados socioespaciais e temporais, o que é completamente diferente dos modelos estáticos de coleta de dados que o planejamento urbano comumente utiliza, por exemplo. Assim, distintos autores advogam a necessidade de uma reformulação no planejamento urbano através da utilização de tecnologias que permitam a criação de metodologias mais dinâmicas, interativas, e colaborativas. Assim, após uma breve perspectiva histórica, apresentam-se duas abordagens contemporâneas para o planejamento e a gestão urbana que tiram partido das tecnologias digitais: o planejamento eletrônico e a cidade inteligente.

consulte Mais informação
  • 1
  • 2