Ordenamento de Matrícula

Definição

Ordenamento de Matrícula é o cálculo realizado automaticamente pelo sistema da universidade para estabelecer uma ordem de matrícula disputada entre todos os alunos pertencentes a um mesmo Grupo de Matrícula (curso). Os alunos são ordenados mediante a aplicação de 6 (seis) índices que concedem valores aos alunos. Estes índices tem por objetivo agrupar os alunos dentro do mesmo interesse de matrícula e desempatar alunos com o mesmo desempenho em relação à distribuição de vagas no período de matrícula.

Ou seja, o Ordenamento define a ordem de preferência de alunos na ocupação de vagas – quanto melhor posicionado o aluno, mais chances dele obter a vaga.

Sobre os índices:

O Índice 1 (I1) expressa a posição dos alunos na seriação aconselhada de seu currículo, ou seja, o semestre a ser cursado. Este índice tem por finalidade agrupar os alunos para a disputa das vagas nas disciplinas de mesmo interesse. A reprovação em disciplinas obrigatórias implica em não avanço do I1.

O Índice 2 (I2) diferencia os alunos frente ao seu grupo de matrícula. Os valores são atribuídos conforme sua situação acadêmica e são ordenados de forma decrescente:

  • 10 aos alunos calouros;
  • 9 aos alunos com ingresso por convênio ou ingressante em Programa Especial de Graduação;
  • 8 aos alunos com ingresso e/ou matrícula por ordem judicial;
  • 7 aos alunos regulares com índice I1 maior que 1 (um);
  • 6 aos discentes com ingresso por transferência interna;
  • 5 aos discentes com ingresso por transferência voluntária;
  • 4 aos discentes com ingresso de diplomado;
  • 3 aos alunos regulares com índice I1 igual a 1 (um);
  • 2 aos discentes com readmissão por abandono;
  • 1 aos discentes com ingresso por transferência compulsória.

 

O Índice 3 (I3) é a média harmônica dos valores atribuídos aos conceitos obtidos em todas as disciplinas do seu curso, os quais correspondem a 10 (dez) para conceito A, 8 (oito) para conceito B, 6 (seis) para conceito C, 3 (três) para conceito D, 2 (dois) para disciplinas trancadas ou canceladas e 1 (um) para conceito FF. Os alunos são ordenados de forma decrescente.

Excluem-se do cálculo do índice I3:

  • todas as disciplinas em que o discente tenha obtido dispensa ou liberação, com ou sem créditos;
  • todas as disciplinas cujos conceitos não tenham sido informados;
  • todas as disciplinas que tenham sido cursadas em época anterior ao ingresso do discente no seu curso atual;
  • todas as disciplinas de outros ursos (extracurricular – curso 2).

 

O Índice 4 (I4) é o número de reprovações do discente nos dois últimos semestres letivos em que esteve regularmente matriculado no seu curso atual. Os discentes são ordenados de forma crescente. Para fins de cálculo do índice I4, são considerados reprovações, cancelamentos e trancamentos (após período de matrícula) de disciplinas realizados pelo discente.

O Índice 5 (I5) indica o argumento padronizado de concorrência obtido pelo discente no certame que o classificou para ingresso na Universidade em relação aos demais participantes do mesmo certame. Os discentes são ordenados de forma decrescente

O Índice 6 (I6) indica o ano de entrada do aluno no curso. Os alunos são ordenados de forma crescente.

 

Legislação: Resolução Nº09/2003-CEPE.