UFRGS e a Covid-19

Mapa reúne informações sobre ações solidárias no Litoral Norte do estado

< Voltar
Sumário

Iniciativa de pesquisadores da UFRGS é voltada tanto a pessoas que precisam receber doações e acessar benefícios públicos quanto àquelas que se dispõem a ajudar

Articular redes de solidariedade e assistência social do Litoral Norte do estado para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 é o objetivo de um mapa criado por pesquisadores do Campus Litoral da UFRGS. Em parceria com lideranças comunitárias, associações, organizadores de campanhas solidárias e poder público, os pesquisadores mapearam ações sociais e benefícios que podem ser acessados por famílias em situação de vulnerabilidade. Além disso, o projeto possibilita que pessoas que queiram fortalecer as redes solidárias possam se somar a essas iniciativas.

O mapa tem dois públicos-alvo: os Solidários, que desejam contribuir com as ações de solidariedade – seja doando alimentos ou produtos de higiene, seja trabalhando de forma voluntária – e as Famílias, que precisam receber doações e acessar os benefícios públicos. A página disponibiliza aos Solidários uma relação de locais que recebem e entregam doações, com informações como endereço, horário de funcionamento, quais produtos esses postos arrecadam e se precisam de voluntários. Já as Famílias podem acessar essa lista de postos solidários para obter dados sobre onde e como receber doações. O mapa oferece ainda uma relação de Agências da Caixa onde é possível tramitar o Auxílio Emergencial do Governo Federal.

Dessa forma, pessoas que querem ajudar as iniciativas solidárias mas não sabem como podem descobrir para onde se dirigir e quais as demandas de determinados municípios ou comunidades. E, por outro lado, as famílias desassistidas podem se informar sobre onde buscar algum tipo de apoio, seja de ações de solidariedade ou de benefícios públicos.

Coordenadora do projeto, a professora do Campus Litoral Sinthia Batista destaca que a proposta surgiu em diálogo com lideranças comunitárias, instituições públicas, estudantes e pesquisadores, inclusive de outros países, a partir da necessidade de fornecer e ampliar as informações de ações comunitárias – e essa articulação, para ela, é fundamental. “No Brasil, a fome é um problema estrutural que, neste momento, será aprofundado e ampliado, um desdobramento do processo de empobrecimento da população a partir do contexto político e econômico que estamos vivendo”, explica. “Uma preocupação é que esse trabalho seja concretamente solidário e não seja situado fora da necessidade real das famílias que precisam modificar suas condições materiais básicas para enfrentamento da pandemia”, acrescenta.

A página é colaborativa: a comunidade pode sugerir a inclusão de novos locais preenchendo o formulário disponível no link https://bit.ly/2Vbfbua. A equipe que elaborou o mapa é composta por estudantes dos cursos de Licenciatura em Geografia, Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia e Biologia Marinha e Gestão Costeira do Campus Litoral. O projeto também conta com o apoio do coletivo Orangotango.

Tags: