UFRGS e a Covid-19

Professores da UFRGS lançam manifesto com diretrizes para combate à pandemia do novo coronavírus

< Voltar
Sumário

Documento é assinado por 42 docentes e inclui doutores em Economia, Ciência Política, Relações Internacionais e Saúde Coletiva

Com o objetivo de apoiar a sociedade brasileira no combate à pandemia do novo coronavírus, os professores da Faculdade de Ciências Econômicas da (FCE) UFRGS lançaram um manifesto com diversas medidas e diretrizes para governos e autoridades. O documento reúne 32 iniciativas para setores como saúde, emprego e renda, serviços de utilidade pública e habitação. Também há medidas de apoio a empresas fortemente atingidas pela situação de excepcionalidade. Os docentes listam ainda propostas para a recuperação e a sustentação da economia.

O manifesto destaca medidas contundentes que vêm sendo adotadas nos países em que a pandemia atingiu níveis mais graves e chama a atenção para a necessidade de o Brasil seguir os mesmos passos, “abandonando a timidez e mobilizando amplos recursos dos setores público e privado no imediato combate à crise”, diz o documento. Até o momento, o manifesto foi assinado por 42 docentes da UFRGS, e inclui doutores em Economia, Ciência Política, Relações Internacionais e Saúde Coletiva.

Entre os exemplos de ações dos governos, os professores citam política monetária e creditícia, com redução de juros e aumento das linhas de assistência dos Bancos Centrais, e política fiscal, que inclui flexibilização de regras fiscais e proteção de famílias e empresas em dificuldade. São mencionadas iniciativas dos Estados Unidos e da União Europeia.

Sugestões para o Brasil: agir para garantir o futuro

Com o propósito de mitigar os efeitos imediatos da pandemia e permitir uma rápida retomada da atividade econômica, os professores pedem que os governantes considerem medidas como disponibilizar recursos novos para o sistema de saúde (não apenas remanejar as verbas já existentes) e reconverter empresas para a produção de bens de saúde, como respiradores, kits de testes e outros.

No que diz respeito ao trabalho, as diretrizes incluem postergar o recolhimento de impostos para proteger os trabalhadores, conceder empréstimos a juros zero para pequenos empreendimentos e reajustar o valor do bolsa família em 20%. O documento sugere ainda a suspensão do pagamento de serviços de utilidade pública, como energia, água, gás e telecomunicações e dos despejos por não pagamento de alugueis.

Todas as medidas podem ser consultadas aqui: www.ufrgs.br/fce/medidas-de-combate-a-pandemia-e-recuperacao-da-economia.