UFRGS e a Covid-19

Serviço de telessaúde da UFRGS orienta paciente com doença respiratória crônica

< Voltar
Sumário

Pacientes com doenças respiratórias crônicas internados em 2019 nos hospitais públicos de Porto Alegre receberão ligações telefônicas para monitoramento e orientações para controle da enfermidade

Atendimento por meio da telemedicina. Foto: Divulgação.

Os pacientes com doenças respiratórias crônicas que estiveram internados nos hospitais públicos de Porto Alegre em 2019 estão sendo monitorados por meio da telemedicina. Essa ação de extensão, denominada ‘Telemedicina em Emergências de Saúde Pública’, é desenvolvida pelos serviços de Atenção Primária à Saúde e de Pneumologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), em conjunto com a Faculdade de Medicina da UFRGS e a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), o TelessaúdeRS, e conta com apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre.

Estudantes de medicina dos 5º e 6º períodos da UFRGS e da UFCSPA estão fazendo contato telefônico a fim de verificar como está o tratamento desses pacientes e também para dar orientações relacionadas à prevenção do novo coronavírus. “Qualquer dúvida que os pacientes tenham conta com o suporte de médicos residentes que estão atuando, presencialmente, junto aos acadêmicos. São profissionais e professores dos serviços de Atenção Primária atuando no Laboratório de Informática da Faculdade de Medicina da UFRGS para discutirem casos mais específicos”, explica Marcelo Gonçalves, professor vinculado ao Departamento de Medicina Social da UFRGS.

O telemonitoramento de paciente com doença respiratória crônica, principalmente asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (bronquite, enfisema), visa avaliar o estado de saúde dos internados em 2019 e verificar como estão sendo controlados os sintomas da doença. “Tudo isso com o objetivo de evitar que esses pacientes se desloquem até as emergências dos hospitais por desequilíbrio dos quadros ou, até mesmo, possíveis internações. Com o nosso contato por telefone é possível prestar as orientações adequadas, evitando que os quadros se agravem por meio de tratamento adequado fornecido pelas unidades básicas de saúde e pelos serviços de atenção primária”, esclarece Gonçalves.

Professores, profissionais de saúde, estudantes e servidores técnico-administrativos estão empenhados para que esses pacientes tenham o esclarecimento adequado, evitando idas desnecessárias aos hospitais neste momento de pandemia de Covid-19. A ação de extensão ‘Telemedicina em Emergências de Saúde Pública’ está focada, neste momento, em pacientes com doenças crônicas respiratórias. Entretanto, à medida em que essa lista for diminuindo, o HCPA passará a prestar o atendimento em telessaúde às pessoas com outras condições crônicas, tais como: diabetes mellitus, hipertensão arterial sistêmica, doenças cardiovasculares.

“Assim, sucessivamente, faremos com que essas pessoas tenham orientação sobre os seus problemas de saúde, como também informações relacionadas a medidas de prevenção em relação à Covid-19. Nesse primeiro momento, mantendo as doenças respiratórias crônicas estabilizadas, evitamos que se gerem filas nas emergências ou internação e ocupação de leitos hospitalares”, diz o professor.

Para Gonçalves é fundamental que a universidade pública esteja envolvida em ações de orientação e atendimento remotos como o telessaúde. “O nosso papel é essencial, pois trazemos todo o nosso conhecimento nas questões de telemonitoramento e teleorientações, que são realizadas dentro da UFRGS por meio do TelessaúdeRS, para colaborar com todo o sistema de saúde local e nacional”.

MAIS

Além das ações de telemonitoramento e teleorientação que estão sendo feitas pela ‘Telemedicina em Emergências de Saúde Pública’, um grupo de estudantes de Medicina da UFRGS está atuando junto às Unidades Básicas de Saúde de Porto Alegre na linha de frente ao enfrentamento à Covid-19. Em conjunto com os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde, esses alunos colaboram no atendimento à população nesse momento de pandemia.

Saiba mais sobre o TelessaúdeRS acessando https://www.ufrgs.br/telessauders/.

Tags: