UFRGS e a Covid-19

TelessaúdeRS UFRGS amplia horário de atendimento e aumenta os serviços para esclarecer sobre a covid-19

< Voltar
Sumário
Teleatendimento ampliado – Foto: Divulgação

Serviço também integra parceria para monitoramento de pessoas com doença respiratória crônica. Estudantes da Universidade reforçam a equipe durante a pandemia

Criado em 2007 no Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da UFRGS, o TelessaúdeRS atua principalmente pelo canal 0800 644 6543, respondendo dúvidas clínicas de médicos e enfermeiros da rede básica de saúde. Diante da pandemia do novo coronavírus, o serviço está, desde 12 de março, concentrando esforços para orientar sobre a covid-19. Além dos profissionais que já atuavam no atendimento (médicos, enfermeiros e dentistas), integraram-se à equipe vários voluntários da área da saúde, sendo muitos estudantes da UFRGS. Em média, nos últimos 20 dias, têm sido respondidas 400 dúvidas diariamente, número que representa o dobro da média de atendimentos realizados antes da pandemia. Cerca de 2/3 das ligações referem-se à covid-19, por isso, o TelessaúdeRS ampliou desde 1º de abril o horário de atendimento, passando a operar 12h por dia, das 8h às 20h, de segunda a sexta-feira.

Também o site do TelessaúdeRS foi incrementado com materiais de orientação sobre a covid-19 produzidos pela equipe, que soma quase 200 pessoas, sendo 64 teleconsultores. Os materiais são desenvolvidos com base nas principais dúvidas recebidas e nos temas que são tratados na mídia.

União de esforços

O conhecimento e a experiência do TelessaúdeRS se somam também aos esforços reunidos por uma grande parceria que envolve a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, e as faculdades de Medicina da UFRGS e da UFCSPA para o monitoramento das condições de saúde das pessoas com doenças respiratórias crônicas, grupo de pacientes vulneráveis às complicações causadas pela covid-19.

Estudantes de Medicina farão contato por telefone com pacientes que passaram por internação hospitalar em 2019 devido a complicações respiratórias. A coordenadora da ação no TelessaúdeRS, Cynthia Goulart Molina Bastos, explica que o objetivo é verificar se estas pessoas estão com quadro de saúde estável e identificar se há necessidade de otimizar o tratamento. Conforme Cynthia, essa medida pode contribuir para evitar que os casos desses pacientes, se forem contaminados pelo novo coronavírus, se agravem. A médica salienta que ainda não há estudos sobre o novo vírus, mas o que já é conhecido a respeito de outros vírus indica que pessoas com doenças pulmonares obstrutivas crônicas são mais vulneráveis. Iniciativa semelhante, segundo Cynthia, está em andamento na Inglaterra.

As primeiras ligações começaram nesta semana e foram realizadas para alguns pacientes cadastrados na UBS Santa Cecília, com o objetivo de testar o script que será usado nos telefonemas. Os demais contatos começarão na segunda-feira, dia 6.

Tags: