UFRGS e a Covid-19

UFRGS atua na elaboração do Guia de Reconhecimento de Espécies dos Campos Sulinos do Ibama

< Voltar
Sumário
Campos Sulinos. Foto: LEVCamp / Divulgação.

Os professores Carlos Nabinger e Miguel Dall’Agnol, vinculados ao Departamento de Plantas Forrageiras e Agrometeorologia da Faculdade de Agronomia da UFRGS, foram os responsáveis pela elaboração do Guia de Reconhecimento de Espécies dos Campos Sulinos, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O objetivo do documento é auxiliar na identificação das principais gramíneas e leguminosas presentes no bioma. Com informações sobre 80 espécies nativas e 4 espécies exóticas invasoras, com fotos e ilustrações, o Guia é destinado a analistas ambientais, técnicos, extensionistas, pesquisadores, acadêmicos e produtores rurais que manejam campos nativos no Sul do país.

Segundo o Ibama, uma tiragem de dois mil exemplares da publicação será distribuída em eventos que promovam o uso sustentável dos Campos Sulinos, após o fim da emergência de saúde pública provocada pela pandemia do novo coronavírus.

O Guia de Identificação de Espécies dos Campos Sulinos está disponível exclusivamente em versão digital. Confira AQUI.

Campos Sulinos

Os Campos Sulinos ou Campos Sul-Brasileiros são ambientes em que predomina a vegetação herbácea, englobando os campos nativos do bioma Pampa, restritos ao Rio Grande do Sul, e os campos de altitude do bioma Mata Atlântica, presentes nos planaltos do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Os campos naturais do Sul do Brasil abrigam mais de 2.600 espécies de plantas, sendo que de gramíneas são mais de 400 espécies. Quanto à sua origem, nada têm a ver com desmatamento, pois são resultado de milhões de anos de clima frio e úmido.

Imagem: Guia de Reconhecimento de Espécies dos Campos Sulinos

Confira o Guia acessandohttps://www.gov.br/ibama/pt-br/assuntos/copy_of_noticias/2020/ibama-publica-guia-para-reconhecimento-de-especies-dos-campos-sulinos/guia_de_especies_dos_campos_sulinos_ibama.pdf

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ibama

Tags: