UFRGS e a Covid-19

UFRGS lidera rede de pesquisa sobre os impactos sociais da covid-19

< Voltar
Sumário
Foto: Flávio Dutra/UFRGS – Arquivo

A Rede C0vid-19 Humanidades, liderada pela UFRGS em parceria com a Fiocruz, o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Brasil Plural-UFSC, a Unicamp e a UnB, desenvolve pesquisa sobre os impactos sociais da pandemia. O projeto, intitulado A covid-19 no Brasil: análise e respostas aos impactos sociais da pandemia entre profissionais de saúde e população em isolamento, é coordenado pelo professor Jean Segata, do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRGS, e pela professora Denise Nacif Pimenta, da Fiocruz-Minas. A pesquisa responde a uma encomenda feita pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e visa subsidiar políticas públicas e ações para o enfrentamento da covid-19, considerando as suas implicações sociais, históricas e culturais. Estão incluídos tópicos sobre interseccionalidade, sofrimento social, precarização do trabalho, desigualdade e injustiça, além de um inventário de sentidos e memórias da pandemia.

Conforme explica Segata, “os processos de saúde e de doença são experiências complexas. Pandemia, por exemplo, é um termo da epidemiologia que descreve uma irrupção infecciosa em escala potencialmente global. Contudo, escalas globais não significam universalidade da experiência da doença, tampouco de seus efeitos”. Ele acrescenta que “apesar da pandemia de covid-19 ser um evento em escala global, ela se realiza de maneira diversa, múltipla a partir da singularidade de infraestruturas, ambientes, práticas, sentidos, relações e hábitos de vida particulares”. Para os pesquisadores, é preciso considerar que os impactos não são homogêneos quando situados em contextos específicos, por isso as respostas à sua mitigação também não podem ser. O professor afirma que, “por esta razão, as pesquisas desta natureza, na área de Ciências Humanas e Sociais, são tão importantes”.

O projeto terá a duração de 24 meses com trabalho de campo em 11 estados do Brasil, em todas as regiões. Os recursos para a sua execução, no valor de R$ 2 milhões, são provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e serão repassados por meio de convênio entre a UFRGS e a Finep.

Tags: